Memória

Do outro lado da passarela


Leonardo Tonus é maître de conférences habilité à diriger des recherches (docente autorizado a realizar pesquisas) na Sorbonne Université (França). Integrante do conselho editorial e do comitê de redação de diversas revistas internacionais. Atua nas áreas de literatura brasileira contemporânea, teoria literária e literatura comparada, com pesquisas sobre imigração.

Para nós, da Memória, Leonardo Tonus é ‘batateiro’ legítimo, pois viveu no Grande ABC toda a sua adolescência. Estudou, se preparou, ‘atravessou a passarela’ – para usar uma linguagem sua – e chegou à França, de onde nos enviou um lindo artigo, que vai dividido em duas partes – hoje a primeira.

Quem localizou Leonardo Tonus foi outro escritor de São Bernardo, o premiadíssimo Manuel Filho, que o reencontrou numa série de palestras em Portugal.

São Bernardo precisa reverenciar mais os seus grandes valores internacionais, entre os quais o romancista e professor Isaias Pessotti, que faz sucesso lá fora e é simplesmente ignorado na terra em que nasceu, São Bernardo.

Aqui ele trabalhou, contribuiu com obras de arte na Igreja Matriz (hoje basílica) e se formou, como homem e cidadão.

A professora norte-americana que bailava na Associação
Texto: Leonardo Tonus

Não nasci em São Bernardo. Mas em 1977 meus pais decidiram se mudar para o ABC, onde passei toda minha adolescência. Apesar de sua proximidade com a Capital, a cidade ainda tinha ares provincianos. Lembro-me de minha surpresa ao ver crianças brincarem nas ruas, as famílias conversarem nas calçadas após o jantar ou simplesmente ter a possibilidade de locomover-se sem perigo pela cidade.

Vivíamos no bairro de Alvinópolis, perto da Via Anchieta. Cursei a 5ª série ginasial na Escola Antônio Nascimento, o vulgo Tonhão do Jordanópolis, bairro vizinho ao Alvinópolis.

No ano seguinte meus pais me colocaram numa estrutura menor e fui parar na Escola Estrada do Mar, que, após o falecimento de seu diretor, passou a se chamar Geraldo Hypólito (que foi diretor de Educação na Prefeitura de São Bernardo). Foi ali, do ‘outro lado da passarela’, que vivi toda minha adolescência.

Tudo acontecia do ‘do outro lado da passarela’: os passeios à Cidade da Criança, as fugas aos shoppings center e, aos domingos, as sessões ‘pipoca’ da Associação de Funcionários Públicos de São Bernardo.

Desde 2014 sou o organizador do festival literário internacional ‘Printemps Littéraire Brésilien’, que este ano visitou a Universidade de Columbus, nos Estados Unidos.

Não foi sem certa surpresa que descobri que minha colega professora norte-americana também fequentava as matinês da Associação, em São Bernardo, durante as quais enlouquecíamos ao som de Tina Turner, Donna Summer ou das Frenéticas.

Foi também ‘do outro lado da passarela’ que continuei minha formação escolar, desta vez no curso técnico de patologia clínica do Colégio Wallace C. Simonsen.

À nossa juventude suburbana, pouco ou quase nada nos era oferecido em matéria de formação escolar pública.
Vivíamos desde 1973 os impactos das crises econômica e social brasileira que atingiriam seu ápice na década de 1980. Suas repercurssões, no entanto, já se verificavam no âmbito de uma política educacional elitista, em crise na altura.

A nós, jovens suburbanos oriundos da classe operária, só nos restavam os cursos técnicos cuja excelência, felizmente, nos permitira um rápido ingresso em universidades públicas do País. No meu caso, o curso de composição e regência da Unesp e de Latim e Alemão na USP.

Diário há 30 anos...

Sábado, 17 de junho de 1989 – ano 32, edição 7094

Manchete – Confronto adia solução para os ônibus em São Bernardo. O prefeito Mauricio Soares declara área da Viação São Bernardo de utilidade pública; João Antonio Setti Braga, presidente da Associação das Empresas de Transportes Coletivo do ABC, ironizou a medida.

SOS Bairros – Jardim Palermo, em São Bernardo, não tem infraestrutura.

Cultura & Lazer – Literatura lembra os 150 anos de Machado de Assis; “Escritor elevou a prosa à modernidade”, comenta o jornalista Reinaldo Azevedo.

Música – Capital Social canta no Buso Palace, em São Caetano.

Em 17 de junho de...

1899 – Casam-se, na Vila de São Bernardo, Spessotto Paulo
e Margarida Scopel, jovens imigrantes italianos, dos primeiros chegados ao Núcleo Colonial.

1919 – Morre, em São Bernardo, Joaquim de Queiroz, doutorando de medicina pela Faculdade de Medicina de São Paulo. O corpo vai de trem para São Paulo, de onde é transportado para o Cemitério da Consolação.

Dr. Joaquim de Queiroz era filho do farmacêutico Humberto de Queiroz e de Maria de Queiroz. O mal que o vitimou se origina da epidemia da gripe espanhola, durante a qual trabalhou com dedicação em um dos postos de socorro.

Em Ribeirão Pires, Jardilino de Lima, 17 anos, feriu-se com o enxadão com que trabalhava. Foi removido para a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.
Internacional

Do noticiário do Correio Paulistano: foi dada à publicidade a resposta dos aliados às contrapropostas alemãs.

Do noticiário do Estadão: os aliados preparam-se para tornar efetivo o bloqueio caso o tratado de paz não seja assinado.

1934 – Cine Teatro Carlos Gomes, em Santo André, exibe o filme Mulher Miraculosa.

1959 – A diretoria do Pacto da Unidade Intersindical do ABC reúne-se na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, a fim de acertar as medidas para promover greve geral de 24 horas em toda a região.
É um protesto contra o não atendimento das reivindicações dos operários da Fiação e Tecelagem Santo André, já no seu 57º dia de greve.
A fábrica oferece 10% de reajuste salarial para os tarefeiros e 5% para os horistas, diaristas e mensalistas; os trabalhadores reivindicam 25%.

Hoje
Começou ontem, e irá até o próximo domingo, a 34ª Semana do Migrante. Tema: Migração e Políticas Públicas – Acolher, Proteger, Promover, Integrar e Celebrar – A luta é todo o dia.
Dia do Funcionário Público Aposentado
Dia Mundial de Luta Contra a Seca e a Desertificação (adotado pela ONU).

Santos do dia
Ismael
Manuel
Rainério ou Ranieri de Pisa. Músico. Possuía o dom dos milagres.

Municípios brasileiros
Celebram aniversários em 17 de junho:

Em São Paulo, São Manuel. Elevado a município em 1885, quando se separa de Botucatu.
Em Goiás, Aloândia
Na Paraíba, Bom Sucesso, Lastro, Vista Serrana e Mataraca
Em Minas Gerais, Ervália e Mutum
Na Bahia, Macarani e Maraú
Em Sergipe, São Francisco
No Rio de Janeiro, São João da Barra.
Fonte: IBGE 

Comentários


Veja Também


Do outro lado da passarela

Leonardo Tonus é maître de conférences habilité à diriger des recherches (docente autorizado a realizar pesquisas) na Sorbonne Université (França). Integrante do conselho editorial e do comitê de redação de diversas revistas internacionais. Atua nas áreas de literatura brasileira contemporânea, t...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar