Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Médico do Ratinho é alvo de 1.019 procedimentos jurídicos


Danilo Angrimani
Do Diário do Grande ABC

17/07/2004 | 22:51


O deputado estadual José Dilson (PDT) e as empresas que ele administra são réus em um total de 346 ações cíveis e trabalhistas. A maioria por falta de pagamento de impostos, contas diversas e compromissos não cumpridos com fornecedores. Somadas as ações cíveis com os 673 títulos já protestados, chega-se a um total de 1.019 procedimentos jurídicos. Os valores dos títulos protestados atingem R$ 1,8 milhão.

José Dilson ganhou notoriedade como o médico do Ratinho — ele atua como consultor do programa do apresentador Carlos Massa, o Ratinho, no SBT. Dilson foi o terceiro vereador mais votado de Santo André, em 2000, com 8.432 votos. Também foi eleito deputado estadual em 2002, conquistando 58.198 votos.

José Dilson, que é candidato a prefeito de Santo André, tem 70% de participação no Hospital das Nações e, segundo registro no Cartório de Imóveis, Títulos e Documentos de Santo André, é sócio da Universo Assistência Médica.

O Diário fez um levantamento no Fórum de Santo André, na Justiça do Trabalho e assessorias que fornecem informações sobre crédito financeiro. Foi verificado que o Hospital das Nações, com sede em Santo André, é réu em 129 ações diversas (despejo, pedido de falência, execuções fiscais, execuções extra-judiciais, entre outras). Tem 382 títulos protestados, num total de R$ 420.909,98. O Hospital das Nações é réu ainda em 126 ações trabalhistas.

A Universo Saúde – empresa de prestação de serviços em assistência de medicina de grupo e administração de planos de saúde, com sede em Santo André – é ré em 18 ações cíveis (despejo por falta de pagamento, pedido de falência, execução fiscal, execução de título extrajudicial, indenizações, entre outras). A empresa é ré ainda em 16 ações trabalhistas. Seus 290 títulos protestados somam R$ 1.358.452,21.

A falta de pagamento e o não-cumprimento de suas obrigações legais causam uma série de problemas para pessoas físicas e jurídicas. Maria Aparecida Sandoli, ex-funcionária da Universo Saúde, foi demitida em abril e não recebeu seus direitos trabalhistas. Ela descobriu que a empresa não havia recolhido o FGTS integralmente e ainda não conseguiu o dinheiro da multa rescisória. Seu limite nos bancos estourou e ela deve para administradora de cartão de crédito.

Uma clínica de olhos que prestava serviços para a Universo Saúde teve um prejuízo de cerca de R$ 200 mil, por atendimentos prestados e não recebidos. Paulo Hoffman, advogado do Instituto de Olhos São Caetano, já moveu quatro ações contra a Universo Saúde. Foram feitos acordos, mas a empresa não os honrou.

A saúde financeira das empresas administradas por José Dilson só piorou nos últimos dois anos. Uma reportagem publicada pelo Diário em maio de 2002 informava que Dilson tinha 45 processos de execução judicial por dívidas não pagas e estava relacionado ainda em 196 processos e distribuições.

Em 29 de junho de 2000, o Hospital das Nações esteve no centro de uma situação curiosa. Foi lavrado no 2º Distrito Policial de Santo André o Boletim de Ocorrência número 6.154/2000, por causa de roubo de água. De acordo com o BO, o hospital estaria furtando água da rede, utilizando uma ligação clandestina em um hidrômetro.

A partir de 12 de março de 1991, o Hospital das Nações deixou de utilizar água tratada do Semasa. O hospital passou a usar água de um poço artesiano. O Semasa cortou o fornecimento em razão do não-pagamento de uma dívida de R$ 35 mil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Médico do Ratinho é alvo de 1.019 procedimentos jurídicos

Danilo Angrimani
Do Diário do Grande ABC

17/07/2004 | 22:51


O deputado estadual José Dilson (PDT) e as empresas que ele administra são réus em um total de 346 ações cíveis e trabalhistas. A maioria por falta de pagamento de impostos, contas diversas e compromissos não cumpridos com fornecedores. Somadas as ações cíveis com os 673 títulos já protestados, chega-se a um total de 1.019 procedimentos jurídicos. Os valores dos títulos protestados atingem R$ 1,8 milhão.

José Dilson ganhou notoriedade como o médico do Ratinho — ele atua como consultor do programa do apresentador Carlos Massa, o Ratinho, no SBT. Dilson foi o terceiro vereador mais votado de Santo André, em 2000, com 8.432 votos. Também foi eleito deputado estadual em 2002, conquistando 58.198 votos.

José Dilson, que é candidato a prefeito de Santo André, tem 70% de participação no Hospital das Nações e, segundo registro no Cartório de Imóveis, Títulos e Documentos de Santo André, é sócio da Universo Assistência Médica.

O Diário fez um levantamento no Fórum de Santo André, na Justiça do Trabalho e assessorias que fornecem informações sobre crédito financeiro. Foi verificado que o Hospital das Nações, com sede em Santo André, é réu em 129 ações diversas (despejo, pedido de falência, execuções fiscais, execuções extra-judiciais, entre outras). Tem 382 títulos protestados, num total de R$ 420.909,98. O Hospital das Nações é réu ainda em 126 ações trabalhistas.

A Universo Saúde – empresa de prestação de serviços em assistência de medicina de grupo e administração de planos de saúde, com sede em Santo André – é ré em 18 ações cíveis (despejo por falta de pagamento, pedido de falência, execução fiscal, execução de título extrajudicial, indenizações, entre outras). A empresa é ré ainda em 16 ações trabalhistas. Seus 290 títulos protestados somam R$ 1.358.452,21.

A falta de pagamento e o não-cumprimento de suas obrigações legais causam uma série de problemas para pessoas físicas e jurídicas. Maria Aparecida Sandoli, ex-funcionária da Universo Saúde, foi demitida em abril e não recebeu seus direitos trabalhistas. Ela descobriu que a empresa não havia recolhido o FGTS integralmente e ainda não conseguiu o dinheiro da multa rescisória. Seu limite nos bancos estourou e ela deve para administradora de cartão de crédito.

Uma clínica de olhos que prestava serviços para a Universo Saúde teve um prejuízo de cerca de R$ 200 mil, por atendimentos prestados e não recebidos. Paulo Hoffman, advogado do Instituto de Olhos São Caetano, já moveu quatro ações contra a Universo Saúde. Foram feitos acordos, mas a empresa não os honrou.

A saúde financeira das empresas administradas por José Dilson só piorou nos últimos dois anos. Uma reportagem publicada pelo Diário em maio de 2002 informava que Dilson tinha 45 processos de execução judicial por dívidas não pagas e estava relacionado ainda em 196 processos e distribuições.

Em 29 de junho de 2000, o Hospital das Nações esteve no centro de uma situação curiosa. Foi lavrado no 2º Distrito Policial de Santo André o Boletim de Ocorrência número 6.154/2000, por causa de roubo de água. De acordo com o BO, o hospital estaria furtando água da rede, utilizando uma ligação clandestina em um hidrômetro.

A partir de 12 de março de 1991, o Hospital das Nações deixou de utilizar água tratada do Semasa. O hospital passou a usar água de um poço artesiano. O Semasa cortou o fornecimento em razão do não-pagamento de uma dívida de R$ 35 mil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;