Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Neymar assume outro comportamento no Peixe


Nelson Cilo
Com Agências

27/09/2010 | 07:05


Os companheiros de Neymar garantem que o irreverente atacante já volta ao normal no ambiente do Santos. Nos últimos 15 dias, sobraram confusões e muitas polêmicas, dentro e fora de campo. O comportamento do atleta chegou a roubar as piores cenas que serviram apenas para tumultuar os noticiários do Alvinegro.

As ofensas ao técnico Dorival Júnior, demitido em consequência do bate-boca entre os dois, no dia da vitória sobre o Atlético-GO, era o pretexto que faltava para Mano Menezes não incluí-lo na mais recente lista de convocados da Seleção Brasileira. Depois disso, Neymar, sempre irritado, fugia da imprensa. Andava de cara fechada.

No entanto, bastou comandar a goleada sobre o Cruzeiro, sábado, na Arena Barueri, para o garoto voltasse a sorrir, ainda que de um jeito bem discreto, quase tímido.

O capitão Edu Dracena e o volante Roberto Brum logo perceberam a surpreendente mudança. Ambos o elogiaram e atribuíram a ele o bom desempenho da equipe nos 4 a 1 diante dos mineiros. Além de participar diretamente de todos os gols, ele selou o resultado. Único detalhe, segundo Edu Dracena, é que agora Neymar brinca ‘durante 12 horas e não 24', como acontecia antes dos conflitos.

Enquanto isso, Roberto Brum resolveu assumir a condição de conselheiro de Neymar. Ele reconhece que os problemas passaram dos limites para quem, segundo ele, ainda não pôde assimilar tanto assédio na curta carreira profissional.

O treinador interino Marcelo Martellote acredita que houve muitos castigos consecutivos que ajudaram Neymar a refletir. Quanto a permanecer ou não no cargo, Martellote acha que tem condições de continuar na vaga de Dorival Júnior.

"Vontade (de assumir) a gente sempre tem. Já estou acostumado há oito ou nove anos. Isso desde as categorias de base. Estar pronto é relativo. A gente aprende até o fim da vida, mas penso que tenho experiência para executar o trabalho", comentou Martellote.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Neymar assume outro comportamento no Peixe

Nelson Cilo
Com Agências

27/09/2010 | 07:05


Os companheiros de Neymar garantem que o irreverente atacante já volta ao normal no ambiente do Santos. Nos últimos 15 dias, sobraram confusões e muitas polêmicas, dentro e fora de campo. O comportamento do atleta chegou a roubar as piores cenas que serviram apenas para tumultuar os noticiários do Alvinegro.

As ofensas ao técnico Dorival Júnior, demitido em consequência do bate-boca entre os dois, no dia da vitória sobre o Atlético-GO, era o pretexto que faltava para Mano Menezes não incluí-lo na mais recente lista de convocados da Seleção Brasileira. Depois disso, Neymar, sempre irritado, fugia da imprensa. Andava de cara fechada.

No entanto, bastou comandar a goleada sobre o Cruzeiro, sábado, na Arena Barueri, para o garoto voltasse a sorrir, ainda que de um jeito bem discreto, quase tímido.

O capitão Edu Dracena e o volante Roberto Brum logo perceberam a surpreendente mudança. Ambos o elogiaram e atribuíram a ele o bom desempenho da equipe nos 4 a 1 diante dos mineiros. Além de participar diretamente de todos os gols, ele selou o resultado. Único detalhe, segundo Edu Dracena, é que agora Neymar brinca ‘durante 12 horas e não 24', como acontecia antes dos conflitos.

Enquanto isso, Roberto Brum resolveu assumir a condição de conselheiro de Neymar. Ele reconhece que os problemas passaram dos limites para quem, segundo ele, ainda não pôde assimilar tanto assédio na curta carreira profissional.

O treinador interino Marcelo Martellote acredita que houve muitos castigos consecutivos que ajudaram Neymar a refletir. Quanto a permanecer ou não no cargo, Martellote acha que tem condições de continuar na vaga de Dorival Júnior.

"Vontade (de assumir) a gente sempre tem. Já estou acostumado há oito ou nove anos. Isso desde as categorias de base. Estar pronto é relativo. A gente aprende até o fim da vida, mas penso que tenho experiência para executar o trabalho", comentou Martellote.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;