Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 4 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Fotógrafo morre em Caracas após registrar seu assassino


Da AFP

06/04/2006 | 10:45


O fotógrafo do jornal venezuelano "El Mundo" Jorge Aguirre levou um tiro no peito durante a cobertura de uma manifestação contra o assassinato dos irmãos Faddoul em Caracas e morreu no Centro Clínico da Capital.

Caído no chão após ser baleado, Aguirre ainda conseguiu tirar fotos do agressor, que fugiu em uma moto.

O fotógrafo, que faleceu enquanto era operado no hospital, estava indo de carro para a Universidade Central da Venezuela, onde ocorria a manifestação, quando foi interpelado por "um suposto policial numa moto sem placa", disse Esso Alvarez, chefe dos fotógrafos do jornal.

Quando Aguirre desceu do carro, que estava perfeitamente identificado como veículo do jornal El Mundo, para chegar à faculdade a pé, o suposto policial disparou três tiros e o atingiu no lado direito do peito.

Os manifestantes realizam protestos em vários pontos de Caracas exigindo medidas do governo contra os seqüestradores, que mantêm pelo menos 31 pessoas em cativeiro na Venezuela, 21 delas no estado de Táchira, fronteira com a Colômbia.

Os corpos dos três irmãos de 12, 13 e 17 anos, de nacionalidade canadense, que haviam sido seqüestrados em 23 de fevereiro, quando iam para a escola com o motorista da família, foram encontrados na noite de ontem, terça-feira.

O governo da Venezuela anunciou uma severa investigação para apurar a suposta participação de policiais na onda de seqüestros e assassinatos que atinge o país.

O ministro do Interior e Justiça, Jesse Chacón, fez o anúncio em rede nacional de rádio e TV, quando advertiu que não se deve politizar a questão, em clara mensagem à oposição.

Chacón também negou enfaticamente que o assassino de Aguirre seja um policial, afirmando que o autor do crime é um civil "não identificado".

Segundo Chacón, o governo decidiu criar uma comissão multisetorial para realizar uma reforma da polícia, que hoje é vinculada aos governos estaduais e age de forma "desorganizada e sem coordenação".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;