Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Empresa de aliados de
Volpi está na mira do MP

Formatual Sistema de Construção Civil, de filiados do PV,
venceu várias licitações em Ribeirão e gerou desconfiança


Cynthia Tavares
do Diário do Grande ABC

16/01/2012 | 07:06


O Ministério Público de Ribeirão Pires investiga os contratos firmados entre a Formatual Sistema de Construção Civil e a Prefeitura, chefiada por Clóvis Volpi (PV). Os inquéritos civis estão na Promotoria de Justiça do município e atualmente passam por perícia. Não há previsão para que o processo receba veredicto.

Na semana passada, o Diário revelou que a empresa faturou licitação de R$ 2,1 milhões para construção do Centro de Exposições e da torre turística, que abrigará relógio e mirante, localizados no Paço.

Os proprietários da construtora são Alexandre Costa Figueiredo e Tsuyako Sonia Nakata Figueiredo. O casal é filiado ao PV - mesmo partido de Volpi - desde 2006.

Apenas em dezembro, a empresa faturou R$ 409 mil em contratos somente com o Executivo de Ribeirão Pires. Os contratos foram publicados no Diário Oficial do município.

Num período de 30 dias, a empresa conseguiu cinco acordos. O contrato mais caro é de R$ 178 mil para escoramento, contenção e reconstrução de taludes (obra para limitar aterros) em diversas escolas municipais.

Foram firmados acordos para construção de guarita no Paço por R$ 126 mil, de quadra poliesportiva no valor de R$ 146 mil e manutenção na rede elétrica da Escola Municipal Carlos Rohm 2, que custou R$ 45 mil aos cofres públicos.

A Prefeitura foi questionada sobre a quantidade de contratos firmados e quais as modalidades de licitação os acordos se encaixavam, mas não respondeu à equipe do Diário.

Em 2008, a Formatual foi responsável pela construção do Hotel Escola, instalado no Parque Pérola da Serra. As duas fases da obra somam R$ 4,3 milhões.

A construção da Secretaria de Assuntos Jurídicos e ampliação do prédio da Prefeitura também foram realizadas pela empresa. O custo da obra para foi de R$ 1,3 milhão.

 

HISTÓRICO

A Formatual foi criada no dia 31 de janeiro de 2005 com um capital declarado à Junta Comercial de São Paulo de R$ 1 milhão. O casal Alexandre e Tsuyako Figueiredo é dono do empreendimento desde sua criação.

Em entrevista ao Diário na semana passada, o empresário confirmou que conhece Volpi e o presidente do PV em Ribeirão Pires, José Valentim Seraphim - ex-secretário de Governo do Paço -, que também atua no ramo da construção civil.

Acerca do diversos contratos com o Executivo, Alexandre Figueiredo nega qualquer interferência política e destacou o grande conhecimento da empresa. "Temos experiência principalmente em reformas de escolas e nos acabamentos", ressaltou.

Na Jucesp, a ficha cadastral da empresa tem como objeto social construção de edifícios, obras de fundações, demolição de prédios e atividades paisagísticas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;