Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Aznar pede a Zapatero decisão sobre retorno das tropas


Da AFP

25/03/2004 | 11:39


O atual chefe do governo espanhol, José María Aznar, pediu a seu sucessor, José Luis Rodriguez Zapatero, que tome uma decisão sobre o retorno das tropas espanholas no Iraque. Os dois líderes tiveram, nesta quinta-feira, seu primeiro encontro desde as eleições de 14 de março

Aznar disse a Zapatero que o retorno dos 1,3 mil soldados destacados no Iraque está prevista para o dia 21 de abril, após quatro meses de missão. Ele pediu que seu sucessor tome uma decisão a respeito e notifique por escrito, o que teria sido aceito por Zapatero.

No encontro, os dois líderes também acertaram detalhes sobre a reunião européia que começará ainda nesta quinta-feira, em Bruxelas, e sobre o processo de transferência de poder, previsto para o fim de abril.

O futuro chefe de governo anunciou que a Espanha deve retirar suas tropas do Iraque no dia 30 de junho se até lá a ONU (Organização das Nações Unidas) não assumir o controle da situação no país.

Aznar e Zapatero também conversaram sobre a Constituição Européia, que o atual governo bloqueou, mas que a futura administração prentende aprovar o quanto antes. Aznar garantiu a seu sucessor que não expressará nenhuma posição a esse respeito na cúpula de Bruxelas.

Acusado de manipular a opinião pública depois dos atentados de 11 de março em Madri, criticado pela imprensa e por boa parte da classe política, Aznar vive um autêntico calvário desde a derrota de seu partido nas eleições legislativas.

Como forma de consolação, o Partido Popular (PP), que governou a Espanha nos últimos oito anos, marcou um grande evento para o sábado. Oficialmente trata-se de uma cerimônia de agradecimento aos 9,6 milhões de espanhóis que votaram na direita nas eleições legislativas, que terminaram com a surpreendente vitória dos socialistas. Apesar da contundente derrota e das críticas ao Governo por suas atitudes após os atentados, não parece que o PP pretenda realizar uma revolução interna.

Batismo - Na quarta-feira, Zapatero recebeu seu batismo diplomático, em um dia de encontros com várias autoridades mundiais presentes no funeral de Estado em memória das vítimas dos atentados de Madri.

O futuro chefe de governo se reuniu com o presidente francês, Jacques Chirac, o chanceler alemão Gerhard Schroeder, o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, e o secretário de Estado norte-americano, Colin Powell.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aznar pede a Zapatero decisão sobre retorno das tropas

Da AFP

25/03/2004 | 11:39


O atual chefe do governo espanhol, José María Aznar, pediu a seu sucessor, José Luis Rodriguez Zapatero, que tome uma decisão sobre o retorno das tropas espanholas no Iraque. Os dois líderes tiveram, nesta quinta-feira, seu primeiro encontro desde as eleições de 14 de março

Aznar disse a Zapatero que o retorno dos 1,3 mil soldados destacados no Iraque está prevista para o dia 21 de abril, após quatro meses de missão. Ele pediu que seu sucessor tome uma decisão a respeito e notifique por escrito, o que teria sido aceito por Zapatero.

No encontro, os dois líderes também acertaram detalhes sobre a reunião européia que começará ainda nesta quinta-feira, em Bruxelas, e sobre o processo de transferência de poder, previsto para o fim de abril.

O futuro chefe de governo anunciou que a Espanha deve retirar suas tropas do Iraque no dia 30 de junho se até lá a ONU (Organização das Nações Unidas) não assumir o controle da situação no país.

Aznar e Zapatero também conversaram sobre a Constituição Européia, que o atual governo bloqueou, mas que a futura administração prentende aprovar o quanto antes. Aznar garantiu a seu sucessor que não expressará nenhuma posição a esse respeito na cúpula de Bruxelas.

Acusado de manipular a opinião pública depois dos atentados de 11 de março em Madri, criticado pela imprensa e por boa parte da classe política, Aznar vive um autêntico calvário desde a derrota de seu partido nas eleições legislativas.

Como forma de consolação, o Partido Popular (PP), que governou a Espanha nos últimos oito anos, marcou um grande evento para o sábado. Oficialmente trata-se de uma cerimônia de agradecimento aos 9,6 milhões de espanhóis que votaram na direita nas eleições legislativas, que terminaram com a surpreendente vitória dos socialistas. Apesar da contundente derrota e das críticas ao Governo por suas atitudes após os atentados, não parece que o PP pretenda realizar uma revolução interna.

Batismo - Na quarta-feira, Zapatero recebeu seu batismo diplomático, em um dia de encontros com várias autoridades mundiais presentes no funeral de Estado em memória das vítimas dos atentados de Madri.

O futuro chefe de governo se reuniu com o presidente francês, Jacques Chirac, o chanceler alemão Gerhard Schroeder, o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, e o secretário de Estado norte-americano, Colin Powell.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;