Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Blair diz que vai pagar 'preço de sangue' no ataque ao Iraque


Do Diário OnLine

06/09/2002 | 10:27


O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, afirmou em entrevista que será exibida domindo pela rede BBC, estar preparado para assumir o "preço de sangue" que o país terá que pagar por manter uma relação especial com os Estados Unidos.

Blair, que neste sábado irá até Camp David para conversar com o presidente norte-americano, George W. Bush, opinou ser importante que os Estados Unidos saibam que podem contar com a Grã-Bretanha em "momentos de crise".

Ao ser perguntado pelo entrevistador da BBC se o "preço de sangue" seria contribuir com tropas para um possível ataque contra o Iraque, Blair disse que sim, afirmando que além do apoio e da solidariedade, os americanos tinham que saber que eles "estarão preparados quando os tiros começarem".

O presidente George W. Bush em busca de mais apoio internacional, provavelmente ainda nesta sexta-feira vai telefonar para chefes de governo da Rússia, China e França. No domingo, o presidente se encontrará com o primeiro-ministro do Canadá, Jean-Chrétien, em Detroit, em mais um esforço para somar apoio para um eventual ataque ao Iraque.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Blair diz que vai pagar 'preço de sangue' no ataque ao Iraque

Do Diário OnLine

06/09/2002 | 10:27


O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, afirmou em entrevista que será exibida domindo pela rede BBC, estar preparado para assumir o "preço de sangue" que o país terá que pagar por manter uma relação especial com os Estados Unidos.

Blair, que neste sábado irá até Camp David para conversar com o presidente norte-americano, George W. Bush, opinou ser importante que os Estados Unidos saibam que podem contar com a Grã-Bretanha em "momentos de crise".

Ao ser perguntado pelo entrevistador da BBC se o "preço de sangue" seria contribuir com tropas para um possível ataque contra o Iraque, Blair disse que sim, afirmando que além do apoio e da solidariedade, os americanos tinham que saber que eles "estarão preparados quando os tiros começarem".

O presidente George W. Bush em busca de mais apoio internacional, provavelmente ainda nesta sexta-feira vai telefonar para chefes de governo da Rússia, China e França. No domingo, o presidente se encontrará com o primeiro-ministro do Canadá, Jean-Chrétien, em Detroit, em mais um esforço para somar apoio para um eventual ataque ao Iraque.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;