Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Medidas simples podem baixar a conta de luz

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

19/10/2008 | 07:10


Com o início do horário de verão, a partir deste domingo, será possível economizar energia elétrica utilizada em todo o País. Além disso, existem medidas que podem ser tomadas para diminuir o valor da conta de luz.

De acordo com a Eletropaulo, distribuidora de energia elétrica que atende a 24 municípios do Estado de São Paulo, incluindo todo o Grande ABC, o chuveiro elétrico e a geladeira são os eletrodomésticos que mais consomem em uma residência, cada um sendo responsável por 30% da conta. Em seguida, vêm as lâmpadas (15%), o ferro elétrico (7%) e a lavadora (5%). Os demais itens correspondem a 13%.

Chuveiro elétrico - Em uma casa com quatro pessoas, por exemplo, são consumidos, em média, 200 KWh (quilowatt hora) por mês. "Se a potência do chuveiro elétrico for de 4.400 watts, ou seja, das duchas mais simples, com menor saída de água e intensidade reduzida, e cada pessoa toma um banho de 15 minutos, tem-se um consumo 132 KWh - equivalente a 40 horas em 30 dias", explica Délcio Rodrigues, diretor de projetos do Instituto Ekos Brasil, consultoria de desenvolvimento sustentável.

Em valores reais sem os impostos, considerando o preço do KWh cobrado pela Eletropaulo de R$ 0,267, são pagos R$ 35,28. Quanto às taxas que incidem na energia elétrica, são elas: PIS/Pasep, Cofins, ICMS, ICMS Cofins e ICMS PIS/Pasep. Com os tributos, a conta passa para R$ 42,65, ou seja, R$ 7,37 a mais. Segundo a distribuidora, apenas 25% do valor da conta fica com eles.

"Já se o banho for reduzido para 10 minutos, o consumo cai para 88 KWh", complementa Rodrigues. Então a conta passa a ser de R$ 23,52 sem impostos e R$ 24,83 com as taxas. Aqui se tem a isenção da cobrança do ICMS, pois o tributo não incide em contas até 90 KWh. De 91 KWh até 200 KWh, o imposto é de 12%. Acima, de 25%.

Nesta época do ano, é possível gastar menos ainda se deixar a chave na posição "verão", pois o consumo é 30% inferior do que a "inverno".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Medidas simples podem baixar a conta de luz

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

19/10/2008 | 07:10


Com o início do horário de verão, a partir deste domingo, será possível economizar energia elétrica utilizada em todo o País. Além disso, existem medidas que podem ser tomadas para diminuir o valor da conta de luz.

De acordo com a Eletropaulo, distribuidora de energia elétrica que atende a 24 municípios do Estado de São Paulo, incluindo todo o Grande ABC, o chuveiro elétrico e a geladeira são os eletrodomésticos que mais consomem em uma residência, cada um sendo responsável por 30% da conta. Em seguida, vêm as lâmpadas (15%), o ferro elétrico (7%) e a lavadora (5%). Os demais itens correspondem a 13%.

Chuveiro elétrico - Em uma casa com quatro pessoas, por exemplo, são consumidos, em média, 200 KWh (quilowatt hora) por mês. "Se a potência do chuveiro elétrico for de 4.400 watts, ou seja, das duchas mais simples, com menor saída de água e intensidade reduzida, e cada pessoa toma um banho de 15 minutos, tem-se um consumo 132 KWh - equivalente a 40 horas em 30 dias", explica Délcio Rodrigues, diretor de projetos do Instituto Ekos Brasil, consultoria de desenvolvimento sustentável.

Em valores reais sem os impostos, considerando o preço do KWh cobrado pela Eletropaulo de R$ 0,267, são pagos R$ 35,28. Quanto às taxas que incidem na energia elétrica, são elas: PIS/Pasep, Cofins, ICMS, ICMS Cofins e ICMS PIS/Pasep. Com os tributos, a conta passa para R$ 42,65, ou seja, R$ 7,37 a mais. Segundo a distribuidora, apenas 25% do valor da conta fica com eles.

"Já se o banho for reduzido para 10 minutos, o consumo cai para 88 KWh", complementa Rodrigues. Então a conta passa a ser de R$ 23,52 sem impostos e R$ 24,83 com as taxas. Aqui se tem a isenção da cobrança do ICMS, pois o tributo não incide em contas até 90 KWh. De 91 KWh até 200 KWh, o imposto é de 12%. Acima, de 25%.

Nesta época do ano, é possível gastar menos ainda se deixar a chave na posição "verão", pois o consumo é 30% inferior do que a "inverno".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;