Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lula promete não levar 'desaforo para casa'


Do Diário OnLine
Com Agências

09/08/2006 | 14:40


O presidente e candidato à reeleição pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, revelou nesta quarta-feira que sua campanha eleitoral irá se basear nos feitos do seus quatro anos de governo e prometeu não 'declarar guerra' aos seus adversário. No entanto, ele deixou claro que se for 'cutucado' não ficará calado.

"Não falarei mal de nenhum candidato, não falarei mal de nenhum governo, não falarei mal de nenhuma pessoa, não levantarei denúncias contra ninguém. Agora, a única coisa que eu digo é a seguinte: não levarei desaforo para casa. Portanto, quem fala o que quer, ouve o que não quer", declarou Lula, durante entrevista à Rádio Capital.

Apesar de se negar a falar mal dos outros, Lula não resistiu e fez uma comparação com a administração do seu antecessor Fernando Henrique Cardoso, que é do mesmo partido de Geraldo Alckmin (PSDB), principal adversário do petista. De acordo com números fornecidos por Lula, na gestão FHC foram criados 8 mil empregos mensais e na sua administração esse número é de 103 mil.

"São empregos positivos, a diferença de quem sai e quem entra. Isso fez com que quase 5 milhões de pessoas já tivessem emprego de carteira profissional assinada, fora o trabalho que fizemos na agricultura familiar, que gera postos de trabalho, o empréstimo consignado e o microcrédito", disse o presidente.

Ele também fez um paralelo da sua administração com a do ex-presidente Getúlio Vargas. "Posso fazer comparações desde Getúlio Vargas até agora para a gente ver o que aconteceu neste País nesses quatro anos", afirmou. "Eu tenho coisa para mostrar e vou mostrar ao povo brasileiro o que nós fizemos. Mostrar com muita tranqüilidade, porque eu tenho o que mostrar, eu tenho números, eu posso fazer comparações", concluiu.

Economia – O 'candidato/presidente' falou durante a entrevista sobre o atual momento da economia brasileira, que deve ser um dos pontos mais abordados pelo petista durante a campanha eleitoral. Segundo Lula, os números obtidos durante sua administração são satisfatórios e mostra uma evolução clara após, segundo ele, mais de 20 anos de estagnação. "Temos recorde de exportação, temos grande importação, superávit de balança comercial. Nós temos superávit em conta corrente, aumento de salário, aumento de emprego, temos a inflação controlada", disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lula promete não levar 'desaforo para casa'

Do Diário OnLine
Com Agências

09/08/2006 | 14:40


O presidente e candidato à reeleição pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, revelou nesta quarta-feira que sua campanha eleitoral irá se basear nos feitos do seus quatro anos de governo e prometeu não 'declarar guerra' aos seus adversário. No entanto, ele deixou claro que se for 'cutucado' não ficará calado.

"Não falarei mal de nenhum candidato, não falarei mal de nenhum governo, não falarei mal de nenhuma pessoa, não levantarei denúncias contra ninguém. Agora, a única coisa que eu digo é a seguinte: não levarei desaforo para casa. Portanto, quem fala o que quer, ouve o que não quer", declarou Lula, durante entrevista à Rádio Capital.

Apesar de se negar a falar mal dos outros, Lula não resistiu e fez uma comparação com a administração do seu antecessor Fernando Henrique Cardoso, que é do mesmo partido de Geraldo Alckmin (PSDB), principal adversário do petista. De acordo com números fornecidos por Lula, na gestão FHC foram criados 8 mil empregos mensais e na sua administração esse número é de 103 mil.

"São empregos positivos, a diferença de quem sai e quem entra. Isso fez com que quase 5 milhões de pessoas já tivessem emprego de carteira profissional assinada, fora o trabalho que fizemos na agricultura familiar, que gera postos de trabalho, o empréstimo consignado e o microcrédito", disse o presidente.

Ele também fez um paralelo da sua administração com a do ex-presidente Getúlio Vargas. "Posso fazer comparações desde Getúlio Vargas até agora para a gente ver o que aconteceu neste País nesses quatro anos", afirmou. "Eu tenho coisa para mostrar e vou mostrar ao povo brasileiro o que nós fizemos. Mostrar com muita tranqüilidade, porque eu tenho o que mostrar, eu tenho números, eu posso fazer comparações", concluiu.

Economia – O 'candidato/presidente' falou durante a entrevista sobre o atual momento da economia brasileira, que deve ser um dos pontos mais abordados pelo petista durante a campanha eleitoral. Segundo Lula, os números obtidos durante sua administração são satisfatórios e mostra uma evolução clara após, segundo ele, mais de 20 anos de estagnação. "Temos recorde de exportação, temos grande importação, superávit de balança comercial. Nós temos superávit em conta corrente, aumento de salário, aumento de emprego, temos a inflação controlada", disse.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;