Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Acumulação de gás causou explosão na sede da Pemex



05/02/2013 | 02:56


A explosão que destruiu o prédio de escritórios na sede da estatal mexicana Petroleos Mexicanos, ou Pemex, matando pelo menos 37 pessoas, foi causada por um acúmulo de gás, possivelmente, de metano, de acordo com os resultados preliminares da investigação, afirmou o procurador-geral mexicano, Jesus Murillo, nesta segunda-feira.

 

Falando em uma coletiva de imprensa, Murillo disse que não há sinais de que a explosão da última quinta-feira foi causada por explosivos artificiais.

 

No entanto, ele não chegou a declarar se a explosão foi um acidente. O procurador afirmou que os resultados ainda são preliminares, acrescentando que a fonte de gás ainda não foi determinada.

 

Os investigadores ainda estão trabalhando para determinar de onde o gás veio e se há ou não alguém por trás do incidente.

 

As razões para descartar o uso de explosivos incluem o fato de que não havia nenhuma cratera no local da explosão, as vigas de aço não foram fraturadas e os corpos das vítimas não foram desmembrados, disse ele. "Não há vestígios de explosivos na zona afetada".

 

Apenas os corpos de três vítimas, trabalhadores que estavam na área mais próxima à fonte da explosão, sofreram queimaduras, acrescentou.

 

O executivo-chefe da Pemex, Emilio Lozoya, disse que uma mulher que tinha sido hospitalizada com ferimentos morreu na segunda-feira, elevando o número de mortos para 37. De 126 pessoas tratadas por ferimentos, 29 permanecem internadas, disse o executivo.

 

Lozoya também disse que a equipe da Pemex deve começar a voltar para o complexo, incluindo à torre Pemex, nesta quarta-feira, uma vez que os especialistas determinaram que os outros edifícios estão a salvo. As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Acumulação de gás causou explosão na sede da Pemex


05/02/2013 | 02:56


A explosão que destruiu o prédio de escritórios na sede da estatal mexicana Petroleos Mexicanos, ou Pemex, matando pelo menos 37 pessoas, foi causada por um acúmulo de gás, possivelmente, de metano, de acordo com os resultados preliminares da investigação, afirmou o procurador-geral mexicano, Jesus Murillo, nesta segunda-feira.

 

Falando em uma coletiva de imprensa, Murillo disse que não há sinais de que a explosão da última quinta-feira foi causada por explosivos artificiais.

 

No entanto, ele não chegou a declarar se a explosão foi um acidente. O procurador afirmou que os resultados ainda são preliminares, acrescentando que a fonte de gás ainda não foi determinada.

 

Os investigadores ainda estão trabalhando para determinar de onde o gás veio e se há ou não alguém por trás do incidente.

 

As razões para descartar o uso de explosivos incluem o fato de que não havia nenhuma cratera no local da explosão, as vigas de aço não foram fraturadas e os corpos das vítimas não foram desmembrados, disse ele. "Não há vestígios de explosivos na zona afetada".

 

Apenas os corpos de três vítimas, trabalhadores que estavam na área mais próxima à fonte da explosão, sofreram queimaduras, acrescentou.

 

O executivo-chefe da Pemex, Emilio Lozoya, disse que uma mulher que tinha sido hospitalizada com ferimentos morreu na segunda-feira, elevando o número de mortos para 37. De 126 pessoas tratadas por ferimentos, 29 permanecem internadas, disse o executivo.

 

Lozoya também disse que a equipe da Pemex deve começar a voltar para o complexo, incluindo à torre Pemex, nesta quarta-feira, uma vez que os especialistas determinaram que os outros edifícios estão a salvo. As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;