Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Irã ameaça reiniciar programa de enriquecimento de urânio


Da AFP

16/06/2004 | 08:35


O presidente do Irã, Mohamed Khatami, advertiu nesta quarta-feira que pode não se sentir obrigado moralmente a respeitar a decisão de suspender suas atividades de enriquecimento de urânio, caso a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) adote uma resolução européia mais estrita em relação ao Irã e seu programa nuclear.

"No momento, não queremos abandonar o Tratado de Não-Proliferação nem deixar de aplicar seu protocolo adicional", declarou o presidente Khatami à imprensa, na saída do conselho de ministros.

No entanto, o mandatário acrescentou que "se a resolução européia for aprovada em sua forma atual, isto significará que os europeus não respeitam suas obrigações conosco e então não nos sentiremos obrigados com eles".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Irã ameaça reiniciar programa de enriquecimento de urânio

Da AFP

16/06/2004 | 08:35


O presidente do Irã, Mohamed Khatami, advertiu nesta quarta-feira que pode não se sentir obrigado moralmente a respeitar a decisão de suspender suas atividades de enriquecimento de urânio, caso a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) adote uma resolução européia mais estrita em relação ao Irã e seu programa nuclear.

"No momento, não queremos abandonar o Tratado de Não-Proliferação nem deixar de aplicar seu protocolo adicional", declarou o presidente Khatami à imprensa, na saída do conselho de ministros.

No entanto, o mandatário acrescentou que "se a resolução européia for aprovada em sua forma atual, isto significará que os europeus não respeitam suas obrigações conosco e então não nos sentiremos obrigados com eles".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;