Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Preparo físico é o problema do São Caetano


Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

11/02/2004 | 00:13


Embora o condicionamento físico não seja o ideal, o preparador físico do São Caetano, Geraldo Delamore, garante que esta fase é normal em início de temporada. Delamore reconhece que a queda de produção está ligada ao início dos trabalhos de 2004, mas que a primeira etapa do trabalho realizado com os atletas já está encerrada. "Além do mais, teve uma viagem entre o jogo do The Strongest (na última quinta-feira) e o Oeste (no domingo). Mas estou tranqüilo com essa situação porque o time ainda conseguiu criar, teve poder ofensivo nos últimos minutos do jogo lá de Itápolis", disse Delamore.

Segundo o responsável pelo preparo do Azulão, os jogadores "estão em fase de absorver a competição". "Não estão 100%. A questão está na individualidade. Alguns já chegaram no seu ponto ideal, outros ainda não. O Lúcio Flávio até surpreendeu no fim de semana por agüentar toda a partida. Ele respondeu bem, mas não está no seu melhor. O mesmo vale para o Gilberto."

Delamore conta que o São Caetano fechou um mês de trabalho após o empate diante do Oeste (2 a 2), mas que terá três semanas pela frente sem jogos no meio da semana, o que vai ajudar no preparo do grupo. Caso, por exemplo, de Euller, que nesta terça já corria em volta do gramado. "Nesta primeira fase de trabalho, o grupo joga praticamente na sua condição mínima. Mas trabalhamos o condicionamento físico e agora, em uma segunda etapa, vamos passar para outra fase de condicionamento."

Após a partida contra o Oeste, os jogadores admitiram o cansaço, muito pela partida anterior, na estréia da Copa Libertadores, contra o The Strongest. Isso no segundo tempo, quando a equipe do interior conseguiu fazer dois gols e empatar a partida. "Tem também o lado psicológico um pouco comprometido porque o São Caetano tinha o jogo em suas mãos no primeiro tempo e não definiu".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Preparo físico é o problema do São Caetano

Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

11/02/2004 | 00:13


Embora o condicionamento físico não seja o ideal, o preparador físico do São Caetano, Geraldo Delamore, garante que esta fase é normal em início de temporada. Delamore reconhece que a queda de produção está ligada ao início dos trabalhos de 2004, mas que a primeira etapa do trabalho realizado com os atletas já está encerrada. "Além do mais, teve uma viagem entre o jogo do The Strongest (na última quinta-feira) e o Oeste (no domingo). Mas estou tranqüilo com essa situação porque o time ainda conseguiu criar, teve poder ofensivo nos últimos minutos do jogo lá de Itápolis", disse Delamore.

Segundo o responsável pelo preparo do Azulão, os jogadores "estão em fase de absorver a competição". "Não estão 100%. A questão está na individualidade. Alguns já chegaram no seu ponto ideal, outros ainda não. O Lúcio Flávio até surpreendeu no fim de semana por agüentar toda a partida. Ele respondeu bem, mas não está no seu melhor. O mesmo vale para o Gilberto."

Delamore conta que o São Caetano fechou um mês de trabalho após o empate diante do Oeste (2 a 2), mas que terá três semanas pela frente sem jogos no meio da semana, o que vai ajudar no preparo do grupo. Caso, por exemplo, de Euller, que nesta terça já corria em volta do gramado. "Nesta primeira fase de trabalho, o grupo joga praticamente na sua condição mínima. Mas trabalhamos o condicionamento físico e agora, em uma segunda etapa, vamos passar para outra fase de condicionamento."

Após a partida contra o Oeste, os jogadores admitiram o cansaço, muito pela partida anterior, na estréia da Copa Libertadores, contra o The Strongest. Isso no segundo tempo, quando a equipe do interior conseguiu fazer dois gols e empatar a partida. "Tem também o lado psicológico um pouco comprometido porque o São Caetano tinha o jogo em suas mãos no primeiro tempo e não definiu".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;