Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Eleitores de Kerry alternam ansiedade e esperança


Da AFP

03/11/2004 | 09:07


Muitos ainda queriam acreditar na manhã desta quarta-feira em uma possível vitória de John Kerry, mas vários eleitores reunidos em Boston (nordeste dos EUA) não escondiam a ansiedade e a irritação.

Depois do horário de votação, milhares de pessoas se reuniram para uma festa de fim de campanha - uma noite "histórica", como diziam alguns - na esplanada de Copley Square, coração da cidade, reduto do candidato democrata.

Tudo estava pronto para uma grande comemoração: um cenário coberto de estrelas e com a bandeira americana ao fundo, imensos palcos para a tropa de jornalistas nacionais e estrangeiros, além de música com astros como Sheryl Crow ou Jon Bon Jovi.

Porém, à medida que as horas passavam e os resultados eram divulgados, a situação ficava cada vez mais complicada para o senador democrata e a festa começou a tomar um sabor amargo.

Durante a madrugada, o vendedor de camisas com a frase "Noite da Vitória de Kerry-Edwards" não pareceu fazer um bom negócio. A chuva persistia e as pessoas começaram a ir embora.

"Vão embora porque sabem o inevitável", profetizou um homem, quando as primeiras projeções apontaram George W. Bush como vencedor em Ohio e derrubaram muitas esperanças.

No entanto, o slogan democrata "um novo começo para os Estados Unidos" continuava sendo projetado sobre a histórica fachada da biblioteca municipal.

"É uma noite triste", disse Vincent Petrocelli, com lágrimas. "Cinqüenta por cento dos americanos votou em um homem que não está qualificado para ser presidente dos Estados Unidos. É um voto baseado no medo, e faltará tempo para reencontrar nossa coragem", acrescentou.

"Estou irritado com o povo americano", afirmou o ator Paul Murphy. "Estamos à beira de uma guerra civil, perdemos nossa Constituição e nosso orgulho aos olhos do mundo."

"Estou decepcionado, existem tantas pessoas ignorantes", disse o gerontologista Steven Sandrelli. "George Bush está arruinando nosso país, internacional e economicamente", acrescentou. "Continuo sendo otimista porque as pessoas acordarão frustradas dentro de quatro anos", previu o advogado David Kenna.

Porém, a esperança voltou quando a CNN - prudente depois dos erros de 2000 - se negou a pronunciar-se sobre Ohio, devido à disputa apertada. A conquista de New Hampshire também despertou os ânimos.

John Kerry, que pretendia ir a Copley Square durante a noite, preferiu ficar em casa.

O candidato à vice-presidente, John Edwards, compareceu ao local e disse que os democratas lutarão por cada voto em Ohio, recebendo muitos aplausos.

"Estou nervoso, mas quero continuar acreditando, quero que Kerry ganhe", disse Robin Weiland, que trabalha em uma editora.

No meio da noite, o que deveria ter sido uma grande festa de fim de campanha dos democratas em Boston foi encerrada com uma música carregada de simbolismo para o momento: "No surrender" (Sem rendição), de Bruce Springsteen.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Eleitores de Kerry alternam ansiedade e esperança

Da AFP

03/11/2004 | 09:07


Muitos ainda queriam acreditar na manhã desta quarta-feira em uma possível vitória de John Kerry, mas vários eleitores reunidos em Boston (nordeste dos EUA) não escondiam a ansiedade e a irritação.

Depois do horário de votação, milhares de pessoas se reuniram para uma festa de fim de campanha - uma noite "histórica", como diziam alguns - na esplanada de Copley Square, coração da cidade, reduto do candidato democrata.

Tudo estava pronto para uma grande comemoração: um cenário coberto de estrelas e com a bandeira americana ao fundo, imensos palcos para a tropa de jornalistas nacionais e estrangeiros, além de música com astros como Sheryl Crow ou Jon Bon Jovi.

Porém, à medida que as horas passavam e os resultados eram divulgados, a situação ficava cada vez mais complicada para o senador democrata e a festa começou a tomar um sabor amargo.

Durante a madrugada, o vendedor de camisas com a frase "Noite da Vitória de Kerry-Edwards" não pareceu fazer um bom negócio. A chuva persistia e as pessoas começaram a ir embora.

"Vão embora porque sabem o inevitável", profetizou um homem, quando as primeiras projeções apontaram George W. Bush como vencedor em Ohio e derrubaram muitas esperanças.

No entanto, o slogan democrata "um novo começo para os Estados Unidos" continuava sendo projetado sobre a histórica fachada da biblioteca municipal.

"É uma noite triste", disse Vincent Petrocelli, com lágrimas. "Cinqüenta por cento dos americanos votou em um homem que não está qualificado para ser presidente dos Estados Unidos. É um voto baseado no medo, e faltará tempo para reencontrar nossa coragem", acrescentou.

"Estou irritado com o povo americano", afirmou o ator Paul Murphy. "Estamos à beira de uma guerra civil, perdemos nossa Constituição e nosso orgulho aos olhos do mundo."

"Estou decepcionado, existem tantas pessoas ignorantes", disse o gerontologista Steven Sandrelli. "George Bush está arruinando nosso país, internacional e economicamente", acrescentou. "Continuo sendo otimista porque as pessoas acordarão frustradas dentro de quatro anos", previu o advogado David Kenna.

Porém, a esperança voltou quando a CNN - prudente depois dos erros de 2000 - se negou a pronunciar-se sobre Ohio, devido à disputa apertada. A conquista de New Hampshire também despertou os ânimos.

John Kerry, que pretendia ir a Copley Square durante a noite, preferiu ficar em casa.

O candidato à vice-presidente, John Edwards, compareceu ao local e disse que os democratas lutarão por cada voto em Ohio, recebendo muitos aplausos.

"Estou nervoso, mas quero continuar acreditando, quero que Kerry ganhe", disse Robin Weiland, que trabalha em uma editora.

No meio da noite, o que deveria ter sido uma grande festa de fim de campanha dos democratas em Boston foi encerrada com uma música carregada de simbolismo para o momento: "No surrender" (Sem rendição), de Bruce Springsteen.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;