Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Anfavea descarta nova prorrogação do IPI

Ari Paleta/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


20/09/2009 | 07:16


O presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Jackson Schneider, disse acreditar que o governo não renovará o benefício de redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), dado aos consumidores na compra de automóveis zero-quilômetro.

"Acho que a chance de termos a continuidade da redução do benefício do IPI é zero. Ninguém espera isso, nenhuma indústria. Não há diálogos sobre esse assunto", disse ele, que participou na última sexta-feira de evento no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Schneider afirmou que, diferentemente de outras ocasiões em que houve a possibilidade de renovação do benefício, o governo desta vez publicou no Diário Oficial da União a sistemática gradativa pela qual as alíquotas de IPI voltarão a ser cobradas a partir de outubro. É daí que vem a certeza do presidente da Anfavea de que o benefício não será renovado.

Apesar disso,Schneider diz não acreditar que haverá redução brusca nas vendas de carros a partir de outubro. "O setor não espera nenhuma queda abrupta", afirmou.

O dirigente ressaltou que a indústria vê com preocupação os movimentos de metalúrgicos por reposição da inflação e aumento salarial. "As propostas que têm sido fechadas são bem robustas e vão gerar pressão importante sobre os custos."

Ele ressaltou que os reajustes diminuem a competitividade dos automóveis brasileiros no Exterior. Schneider disse ainda que o custo da mão de obra é levado em conta pelas fabricantes quando há uma disputa entre fábricas da mesma companhia em diferentes locais do mundo para receber novo investimento ou projeto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;