Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Emprego na zona do euro cai para menor nível em 7 anos



14/06/2013 | 06:31


Uma queda acentuada no número de pessoas contratadas na zona do euro no primeiro trimestre levou o emprego da região para seu nível mais baixo em mais de sete anos, mostraram dados oficiais nesta sexta-feira.

A Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia, disse que o número de pessoas empregadas nos 17 países que usam o euro caiu 0,5% no primeiro trimestre em comparação com os últimos três meses de 2012, a maior queda trimestral desde o segundo trimestre de 2009.

A queda deixou, no total, 145,1 milhões de pessoas empregadas, o nível mais baixo desde o quarto trimestre de 2005.

Os piores resultados referem-se a Grécia, onde o número de pessoas empregadas caiu 2,3% na comparação trimestral, e a Portugal, onde recuou 2,2%. Espanha, Chipre e Itália, todos viram quedas de mais de 1%. Por outro lado, as economias mais resistentes com fardos de dívida menos significativos, como a Alemanha e a Áustria, continuaram a registrar um crescimento no emprego. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Emprego na zona do euro cai para menor nível em 7 anos


14/06/2013 | 06:31


Uma queda acentuada no número de pessoas contratadas na zona do euro no primeiro trimestre levou o emprego da região para seu nível mais baixo em mais de sete anos, mostraram dados oficiais nesta sexta-feira.

A Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia, disse que o número de pessoas empregadas nos 17 países que usam o euro caiu 0,5% no primeiro trimestre em comparação com os últimos três meses de 2012, a maior queda trimestral desde o segundo trimestre de 2009.

A queda deixou, no total, 145,1 milhões de pessoas empregadas, o nível mais baixo desde o quarto trimestre de 2005.

Os piores resultados referem-se a Grécia, onde o número de pessoas empregadas caiu 2,3% na comparação trimestral, e a Portugal, onde recuou 2,2%. Espanha, Chipre e Itália, todos viram quedas de mais de 1%. Por outro lado, as economias mais resistentes com fardos de dívida menos significativos, como a Alemanha e a Áustria, continuaram a registrar um crescimento no emprego. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;