Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Biden anuncia sanções contra Mianmar após golpe militar

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/02/2021 | 16:04


Em resposta ao golpe militar ocorrido em 1º de fevereiro em Mianmar, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou em pronunciamento nesta quarta-feira, 10, que deve bloquear acesso a US$ 1 bilhões em fundos do país asiático mantidos em solo americano, além de controlar exportações e ativos que beneficiem o governo da antiga Birmânia.

O líder da Casa Branca pediu uma resposta internacional coordenada ao episódio e exigiu a libertação imediata de presos políticos, como a líder Aung San Suu, eleita democraticamente em novembro. Biden afirmou, ainda, que vai assinar, junto a outros países, decreto com sanções aos militares envolvidos no golpe, e que pode ainda anunciar medidas adicionais.

De acordo com o democrata, o "mundo está assistindo" os direitos humanos serem desrespeitados em Mianmar e, por isso, seu governo deve agir junto ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. Segundo ele, "é inaceitável tirar a democracia de uma nação" e os resultados da última eleição no país asiático devem ser respeitados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Biden anuncia sanções contra Mianmar após golpe militar


10/02/2021 | 16:04


Em resposta ao golpe militar ocorrido em 1º de fevereiro em Mianmar, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou em pronunciamento nesta quarta-feira, 10, que deve bloquear acesso a US$ 1 bilhões em fundos do país asiático mantidos em solo americano, além de controlar exportações e ativos que beneficiem o governo da antiga Birmânia.

O líder da Casa Branca pediu uma resposta internacional coordenada ao episódio e exigiu a libertação imediata de presos políticos, como a líder Aung San Suu, eleita democraticamente em novembro. Biden afirmou, ainda, que vai assinar, junto a outros países, decreto com sanções aos militares envolvidos no golpe, e que pode ainda anunciar medidas adicionais.

De acordo com o democrata, o "mundo está assistindo" os direitos humanos serem desrespeitados em Mianmar e, por isso, seu governo deve agir junto ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. Segundo ele, "é inaceitável tirar a democracia de uma nação" e os resultados da última eleição no país asiático devem ser respeitados.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;