Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Brasil enviará tropas ao Timor Leste


Do Diário do Grande ABC

16/09/1999 | 20:16


Em reuniao extraordinária, o Congresso Nacional aprovou nesta quinta-feira o envio de tropas brasileiras para compor a força multinacional de paz no Timor Leste. O Congresso aprovou por unanimidade a mensagem enviada pelo presidente da República, que pede autorizaçao para a convocaçao da tropa sob o argumento de que o Brasil já vem participando ativamente de todas as fases do processo de independência do Timor. Os custos da presença brasileira no Timor ainda nao foram calculados e serao objeto de nova mensagem que será enviada ao Congresso em breve com o pedido de crédito adicional para custear o projeto.

"O governo indonésio consentiu com a presença da força multinacional, que deverá ser deslocada com a máxima urgência diante da situaçao de grande instabilidade no Timor Leste", informa a mensagem presidencial.

A decisao de mandar apenas um pequeno contingente para o Timor, segundo o porta-voz, Georges Lamazière, foi tomada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em conjunto com os ministérios da Defesa e das Relaçoes Exteriores. O porta-voz garantiu que em nenhum momento o ministro da Fazenda, Pedro Malan, participou das negociaçoes. Alguns jornais chegaram a publicar nesta quinta-feira que o ministro tinha feito restriçoes a um envio de um contingente maior para Timor. "O ministro da Fazenda nao foi informado dessa questao e nem participou do processo decisório", garantiu o porta-voz. O ministro da Defesa, Elcio Alvares, também afirmou nesta quinta-feira que Malan nao teve qualquer participaçao na definiçao do governo sobre a tropa que será enviada ao Timor.

O número de soldados brasileiros que irá para Timor, segundo Lamazière, "obedece ao tipo de demanda que foi apresentada pelo governo australiano, que vai liderar a força". A Austrália, de acordo com o porta-voz, solicitou apenas trinta pessoas.

"Sao cinqüenta homens muito bem treinados, é um grupo bem treinado. O importante nao é o tamanho da ajuda, mas a manifestaçao de solidariedade", afirmou Elcio Alvares. O governo pretende mandar as tropas na segunda-feira.

Em um almoço que ofereceu ao presidente do Zimbabue, Robert Mugabe, no Palácio do Itamaraty, Fernando Henrique mais uma vez manifestou sua indignaçao com a situaçao no Timor Leste. "A indignaçao nos invade quando vemos o que está o que está ocorrendo no Timor Leste, onde se tornou indispensável e urgente que a comunidade internacional ajude o povo timorense na garantia de sua segurança e no exercício de sua auto determinaçao", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brasil enviará tropas ao Timor Leste

Do Diário do Grande ABC

16/09/1999 | 20:16


Em reuniao extraordinária, o Congresso Nacional aprovou nesta quinta-feira o envio de tropas brasileiras para compor a força multinacional de paz no Timor Leste. O Congresso aprovou por unanimidade a mensagem enviada pelo presidente da República, que pede autorizaçao para a convocaçao da tropa sob o argumento de que o Brasil já vem participando ativamente de todas as fases do processo de independência do Timor. Os custos da presença brasileira no Timor ainda nao foram calculados e serao objeto de nova mensagem que será enviada ao Congresso em breve com o pedido de crédito adicional para custear o projeto.

"O governo indonésio consentiu com a presença da força multinacional, que deverá ser deslocada com a máxima urgência diante da situaçao de grande instabilidade no Timor Leste", informa a mensagem presidencial.

A decisao de mandar apenas um pequeno contingente para o Timor, segundo o porta-voz, Georges Lamazière, foi tomada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em conjunto com os ministérios da Defesa e das Relaçoes Exteriores. O porta-voz garantiu que em nenhum momento o ministro da Fazenda, Pedro Malan, participou das negociaçoes. Alguns jornais chegaram a publicar nesta quinta-feira que o ministro tinha feito restriçoes a um envio de um contingente maior para Timor. "O ministro da Fazenda nao foi informado dessa questao e nem participou do processo decisório", garantiu o porta-voz. O ministro da Defesa, Elcio Alvares, também afirmou nesta quinta-feira que Malan nao teve qualquer participaçao na definiçao do governo sobre a tropa que será enviada ao Timor.

O número de soldados brasileiros que irá para Timor, segundo Lamazière, "obedece ao tipo de demanda que foi apresentada pelo governo australiano, que vai liderar a força". A Austrália, de acordo com o porta-voz, solicitou apenas trinta pessoas.

"Sao cinqüenta homens muito bem treinados, é um grupo bem treinado. O importante nao é o tamanho da ajuda, mas a manifestaçao de solidariedade", afirmou Elcio Alvares. O governo pretende mandar as tropas na segunda-feira.

Em um almoço que ofereceu ao presidente do Zimbabue, Robert Mugabe, no Palácio do Itamaraty, Fernando Henrique mais uma vez manifestou sua indignaçao com a situaçao no Timor Leste. "A indignaçao nos invade quando vemos o que está o que está ocorrendo no Timor Leste, onde se tornou indispensável e urgente que a comunidade internacional ajude o povo timorense na garantia de sua segurança e no exercício de sua auto determinaçao", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;