Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 12 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Tesouro do oriente em quadrinhos


Luís Felipe Soares
Especial para o Diário

08/06/2008 | 07:05


Um clássico dos quadrinhos chineses chega pela primeira vez ao Ocidente com Jornada ao Oeste - O Nascimento do Rei dos Macacos: Volume Um (Conrad, 464 págs., R$ 42,90). O livro é lançado em versão ilustrada e traduzido diretamente do chinês.

O enredo tem origem na história do monge Xuan Zang, que, no século 7, viajou até a Índia em busca de ensinamentos budistas. A fama de sua saga foi fundamental para a disseminação do budismo no Extremo Oriente.

Com tempo, a jornada foi sofrendo modificações e ganhando novos fatos e personagens. O principal incremento foi o surgimento da figura de um macaco humanizado muito poderoso que seria responsável pela segurança do monge.

Em Jornada ao Oeste, acompanhamos a trajetória de Sun Wukong, rei dos macacos e um dos discípulos de Xuan Zang. Detentor do segredo da imortalidade, ele acaba sendo castigado e aprisionado sob uma montanha por causa de seu mau comportamento.

Após se passarem 500 anos, o rei dos macacos é libertado para se tornar o guarda-costas do monge em sua viagem e ganha uma oportunidade de se redimir. Ele deve usar suas habilidades de se transformar em qualquer coisa, carregar montanhas nos ombros e cavalgar pelas nuvens nesta sua nova missão. Xuan é perseguido por diversas criaturas malignas que estão atrás de sua carne, que concede vida eterna para quem prová-la. Em meio a diversas lutas com monstros e bandidos, há um enredo cheio de intrigas e tentações.

A narrativa do século 14 é do autor Wu Cheng'en. Sua versão da lenda se tornou a mais conhecida. Desenvolve aspectos da filosofia oriental por meio de uma mescla de aventura, fantasia e uma pitada de comédia.

A popularização do guerreiro foi tamanha que sua imagem acabou sendo utilizada como o elemento oficial de propaganda durante a Revolução Cultural de Mao Tse-Tung.

Está para os orientais assim como a Ilíada e a Odisséia, de Homero, estão para a cultura greco-latina. No Ocidente, inspirou a saga de Son Goku (nome pelo qual os japoneses conhecem Sun Wukong, o Rei dos Macacos), personagem principal do mangá Dragon Ball, de fama mundial. (Supervisão de Melina Dias)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tesouro do oriente em quadrinhos

Luís Felipe Soares
Especial para o Diário

08/06/2008 | 07:05


Um clássico dos quadrinhos chineses chega pela primeira vez ao Ocidente com Jornada ao Oeste - O Nascimento do Rei dos Macacos: Volume Um (Conrad, 464 págs., R$ 42,90). O livro é lançado em versão ilustrada e traduzido diretamente do chinês.

O enredo tem origem na história do monge Xuan Zang, que, no século 7, viajou até a Índia em busca de ensinamentos budistas. A fama de sua saga foi fundamental para a disseminação do budismo no Extremo Oriente.

Com tempo, a jornada foi sofrendo modificações e ganhando novos fatos e personagens. O principal incremento foi o surgimento da figura de um macaco humanizado muito poderoso que seria responsável pela segurança do monge.

Em Jornada ao Oeste, acompanhamos a trajetória de Sun Wukong, rei dos macacos e um dos discípulos de Xuan Zang. Detentor do segredo da imortalidade, ele acaba sendo castigado e aprisionado sob uma montanha por causa de seu mau comportamento.

Após se passarem 500 anos, o rei dos macacos é libertado para se tornar o guarda-costas do monge em sua viagem e ganha uma oportunidade de se redimir. Ele deve usar suas habilidades de se transformar em qualquer coisa, carregar montanhas nos ombros e cavalgar pelas nuvens nesta sua nova missão. Xuan é perseguido por diversas criaturas malignas que estão atrás de sua carne, que concede vida eterna para quem prová-la. Em meio a diversas lutas com monstros e bandidos, há um enredo cheio de intrigas e tentações.

A narrativa do século 14 é do autor Wu Cheng'en. Sua versão da lenda se tornou a mais conhecida. Desenvolve aspectos da filosofia oriental por meio de uma mescla de aventura, fantasia e uma pitada de comédia.

A popularização do guerreiro foi tamanha que sua imagem acabou sendo utilizada como o elemento oficial de propaganda durante a Revolução Cultural de Mao Tse-Tung.

Está para os orientais assim como a Ilíada e a Odisséia, de Homero, estão para a cultura greco-latina. No Ocidente, inspirou a saga de Son Goku (nome pelo qual os japoneses conhecem Sun Wukong, o Rei dos Macacos), personagem principal do mangá Dragon Ball, de fama mundial. (Supervisão de Melina Dias)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;