Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Pantanal pede socorro

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Do Dgabc.com.br

20/09/2020 | 09:41


 Situado no Sul de Mato Grosso e no Noroeste de Mato Grosso do Sul, o Pantanal é considerado a maior planície alagada contínua do mundo e tem ganhado destaque nos noticiários brasileiros e do mundo. 

Esse importante bioma (ecossistema) somou cerca de 15,5 mil focos de calor (que costumam representar incêndios) neste ano – o maior número de queimadas desde 1998, quando o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) passou a contabilizar o fenômeno. 

No meio dos incêndios, a flora e fauna nativa – uma das mais diversas do mundo já que reúne 2.000 espécies de plantas, 580 de aves, e 280 de peixes, 174 de mamíferos, 131 de répteis e 57 de anfíbios – sofre. Onças, cobras, macacos, cobras, antas e jacarés, por exemplo, são alguns dos animais encontrados sem vida. 

O uso do fogo na agropecuária, associado à seca histórica no local (pouca chuva devido as mudanças climáticas) são os dois principais motivos das queimadas.

O governo federal anunciou que vai financiar, com R$ 10,1 milhões, o plano de trabalho do governo do Mato Grosso para combate aos incêndios que atingem a área de Pantanal.

Os incêndios já passam de um mês e praticamente acabaram com o Parque Estadual Encontro das Águas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pantanal pede socorro

Do Dgabc.com.br

20/09/2020 | 09:41


 Situado no Sul de Mato Grosso e no Noroeste de Mato Grosso do Sul, o Pantanal é considerado a maior planície alagada contínua do mundo e tem ganhado destaque nos noticiários brasileiros e do mundo. 

Esse importante bioma (ecossistema) somou cerca de 15,5 mil focos de calor (que costumam representar incêndios) neste ano – o maior número de queimadas desde 1998, quando o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) passou a contabilizar o fenômeno. 

No meio dos incêndios, a flora e fauna nativa – uma das mais diversas do mundo já que reúne 2.000 espécies de plantas, 580 de aves, e 280 de peixes, 174 de mamíferos, 131 de répteis e 57 de anfíbios – sofre. Onças, cobras, macacos, cobras, antas e jacarés, por exemplo, são alguns dos animais encontrados sem vida. 

O uso do fogo na agropecuária, associado à seca histórica no local (pouca chuva devido as mudanças climáticas) são os dois principais motivos das queimadas.

O governo federal anunciou que vai financiar, com R$ 10,1 milhões, o plano de trabalho do governo do Mato Grosso para combate aos incêndios que atingem a área de Pantanal.

Os incêndios já passam de um mês e praticamente acabaram com o Parque Estadual Encontro das Águas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;