Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Laudo aponta arma 'estranha' em tiroteio no flat


Do Diário OnLine

29/09/2001 | 15:24


Uma arma diferente das sete que a polícia apreendeu no flat L’Etoile, em Barueri, pode ter sido utilizada na ação que tentou prender os seqüestrador Fernando Dutra Pinto, 22, segundo o laudo do enviado pelo Instituto de Criminalística à polícia. Nesta ação da Polícia Civil os investigadores Paulo Tamotsu Tamaki e Marcos Amorim Bezerra foram mortos e Reginaldo Nardes ficou ferido.

O instituto constatou que dois dos 23 projéteis analisados se mostraram incompatíveis com as sete armas recolhidas no dia da ação, três revólveres calibre 38, duas pistolas 380 e duas 45.

A polícia sabe que cinco, dos treze tiros que mataram os policiais, foram disparados pela arma de Dutra Pinto. Não se sabe qual arma fez os outros disparos.

O laudo do Instituto de Criminalística sobre amostras de sangue coletados no local, divulgado na semana passada, apontou a presença de uma quinta pessoa no 10º andar do flat, com exceção dos três investigadores e de Fernado Dutra Pinto.

A defesa de Dutra Pinto, que seqüestrou Patricia Abravanel e o pai dela, o empresário Silvio Santos, prepara-se para utilizar esses detalhes para afirmar que ele não matou os policiais.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Laudo aponta arma 'estranha' em tiroteio no flat

Do Diário OnLine

29/09/2001 | 15:24


Uma arma diferente das sete que a polícia apreendeu no flat L’Etoile, em Barueri, pode ter sido utilizada na ação que tentou prender os seqüestrador Fernando Dutra Pinto, 22, segundo o laudo do enviado pelo Instituto de Criminalística à polícia. Nesta ação da Polícia Civil os investigadores Paulo Tamotsu Tamaki e Marcos Amorim Bezerra foram mortos e Reginaldo Nardes ficou ferido.

O instituto constatou que dois dos 23 projéteis analisados se mostraram incompatíveis com as sete armas recolhidas no dia da ação, três revólveres calibre 38, duas pistolas 380 e duas 45.

A polícia sabe que cinco, dos treze tiros que mataram os policiais, foram disparados pela arma de Dutra Pinto. Não se sabe qual arma fez os outros disparos.

O laudo do Instituto de Criminalística sobre amostras de sangue coletados no local, divulgado na semana passada, apontou a presença de uma quinta pessoa no 10º andar do flat, com exceção dos três investigadores e de Fernado Dutra Pinto.

A defesa de Dutra Pinto, que seqüestrou Patricia Abravanel e o pai dela, o empresário Silvio Santos, prepara-se para utilizar esses detalhes para afirmar que ele não matou os policiais.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;