Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

'Marketing é receita para a vitória', diz especialista


Jessica Cavalheiro
Do Diário do Grande ABC

26/07/2010 | 07:12


Com as eleições próximas e a propaganda eleitoral liberada, o objetivo dos candidatos é mostrar suas propostas e buscar votos. O marketing político é visto como ferramenta indispensável para a campanha. Para isso, existem os marquetólogos, popularmente conhecidos como marqueteiros profissionais.

Com o passe valorizado, a maioria não está ao alcance de todos, restando aos políticos recorrerem a amigos, publicitários e até ao próprio dom para o negócio.

O especialista em marketing político e propaganda eleitoral pela USP Sávio Ximenes Hackradt define o marqueteiro como estrategista. "O profissional executa estratégias que são articuladas através de muita pesquisa, para que ele possa criar imagem do candidato que consiga conquistar os eleitores", afirmou Sávio, ao salientar o papel fundamental que tem um marquetólogo na disputa eleitoral. "Quem ganha a eleição é o candidato, mas desenvolver um marketing político excelente é a receita da vitória."

De acordo com ele, a necessidade de um candidato contratar um marquetólogo é muito mais para aqueles que buscam cargo majoritário. Sávio recomenda que os candidatos consigam, pelo menos, consultar algum profissional. "É essencial que consulte e passe as ideias para a sua equipe de comunicação."

Buscando sua reeleição, o deputado estadual Donisete Braga (PT) concorda com o fato de não poder contar com um marqueteiro profissional. "Um candidato que está fazendo uma campanha majoritária vive de situações do dia a dia. Ele precisa estar a todo momento atualizando sua campanha."

Disputando as urnas pela primeira vez, o candidato a deputado estadual Elísio Peixoto (PcdoB) acredita que políticos com menor poder aquisitivo e, principalmente, iniciantes como ele dificilmente recorre ao profissional. Ele disse que o marqueteiro não é imprescindível. "Hoje existem ferramentas na internet que permitem que qualquer um desenvolva bom trabalho", afirmou.

A vereadora de Diadema Regina Gonçalves (PV), que disputa neste ano pela primeira vez vaga na Assembleia Legislativa, disse que a saída é recorrer a ajuda de amigos. "Temos que contar com alguém que não esteja tão envolvido emocionalmente com a disputa e possa ter esse olhar clínico em cima da publicidade."

Sávio alertou ainda sobre a possibilidade de um marqueteiro não conseguir passar boa imagem do candidato. "Isso pode acontecer. Se for feita uma análise incorreta de pesquisa pode criar uma imagem errada e que o eleitor não está esperando", afirmou.

Publicidade foi decisiva para Kassab e Obama
Nas eleições de 2008, a campanha publicitária do prefeito Gilberto Kassab (DEM) ficou marcada por ter sido fundamental para que o então candidato chegasse ao segundo turno com Marta Suplicy (PT) - que naquele momento apresentava significativa vantagem - e vencesse as eleições. A campanha de Kassab na internet soube chamar a atenção do eleitorado com recursos gráficos e audiovisuais. Um dos principais destaques publicitários foi a criação do boneco Kassabinho, essencial para a construção da imagem do candidato.

Outro exemplo de campanha que contou com a ajuda de marketing político foi o do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O político apostou no uso da tecnologia e de métodos que foram além da manutenção de blog e site no ar. O presidente é um dos mais influentes no Twitter, ferramenta que utilizou durante campanha e que o ajudou a vencer o pleito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Marketing é receita para a vitória', diz especialista

Jessica Cavalheiro
Do Diário do Grande ABC

26/07/2010 | 07:12


Com as eleições próximas e a propaganda eleitoral liberada, o objetivo dos candidatos é mostrar suas propostas e buscar votos. O marketing político é visto como ferramenta indispensável para a campanha. Para isso, existem os marquetólogos, popularmente conhecidos como marqueteiros profissionais.

Com o passe valorizado, a maioria não está ao alcance de todos, restando aos políticos recorrerem a amigos, publicitários e até ao próprio dom para o negócio.

O especialista em marketing político e propaganda eleitoral pela USP Sávio Ximenes Hackradt define o marqueteiro como estrategista. "O profissional executa estratégias que são articuladas através de muita pesquisa, para que ele possa criar imagem do candidato que consiga conquistar os eleitores", afirmou Sávio, ao salientar o papel fundamental que tem um marquetólogo na disputa eleitoral. "Quem ganha a eleição é o candidato, mas desenvolver um marketing político excelente é a receita da vitória."

De acordo com ele, a necessidade de um candidato contratar um marquetólogo é muito mais para aqueles que buscam cargo majoritário. Sávio recomenda que os candidatos consigam, pelo menos, consultar algum profissional. "É essencial que consulte e passe as ideias para a sua equipe de comunicação."

Buscando sua reeleição, o deputado estadual Donisete Braga (PT) concorda com o fato de não poder contar com um marqueteiro profissional. "Um candidato que está fazendo uma campanha majoritária vive de situações do dia a dia. Ele precisa estar a todo momento atualizando sua campanha."

Disputando as urnas pela primeira vez, o candidato a deputado estadual Elísio Peixoto (PcdoB) acredita que políticos com menor poder aquisitivo e, principalmente, iniciantes como ele dificilmente recorre ao profissional. Ele disse que o marqueteiro não é imprescindível. "Hoje existem ferramentas na internet que permitem que qualquer um desenvolva bom trabalho", afirmou.

A vereadora de Diadema Regina Gonçalves (PV), que disputa neste ano pela primeira vez vaga na Assembleia Legislativa, disse que a saída é recorrer a ajuda de amigos. "Temos que contar com alguém que não esteja tão envolvido emocionalmente com a disputa e possa ter esse olhar clínico em cima da publicidade."

Sávio alertou ainda sobre a possibilidade de um marqueteiro não conseguir passar boa imagem do candidato. "Isso pode acontecer. Se for feita uma análise incorreta de pesquisa pode criar uma imagem errada e que o eleitor não está esperando", afirmou.

Publicidade foi decisiva para Kassab e Obama
Nas eleições de 2008, a campanha publicitária do prefeito Gilberto Kassab (DEM) ficou marcada por ter sido fundamental para que o então candidato chegasse ao segundo turno com Marta Suplicy (PT) - que naquele momento apresentava significativa vantagem - e vencesse as eleições. A campanha de Kassab na internet soube chamar a atenção do eleitorado com recursos gráficos e audiovisuais. Um dos principais destaques publicitários foi a criação do boneco Kassabinho, essencial para a construção da imagem do candidato.

Outro exemplo de campanha que contou com a ajuda de marketing político foi o do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O político apostou no uso da tecnologia e de métodos que foram além da manutenção de blog e site no ar. O presidente é um dos mais influentes no Twitter, ferramenta que utilizou durante campanha e que o ajudou a vencer o pleito.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;