Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 29 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Café pode reduzir risco de contrair estafilococos

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/09/2011 | 00:00


As pessoas que tomam café ou chá correm menos risco de contrair estafilococos, uma bactéria responsável em causar várias doenças. Essa bactéria é a responsável pela pneumonia e por infecções sanguíneas e na pele. O estafilococos é resistente a vários antibióticos e é difundida em hospitais, onde o risco de contaminação por bactérias é grande. No entanto, um estudo americano concluiu que o café e o chá podem proteger a pessoa dela. Foram analisados mais de 5 mil norte-americanos. O que se descobriu é que 1,4% dos participantes tinham a bactéria no sangue. Porém, as pessoas que beberam café ou chá quente, pelo menos uma vez por mês, tinham menor risco de serem infectadas por ela. Por Carolina Abranches



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Café pode reduzir risco de contrair estafilococos


13/09/2011 | 00:00


As pessoas que tomam café ou chá correm menos risco de contrair estafilococos, uma bactéria responsável em causar várias doenças. Essa bactéria é a responsável pela pneumonia e por infecções sanguíneas e na pele. O estafilococos é resistente a vários antibióticos e é difundida em hospitais, onde o risco de contaminação por bactérias é grande. No entanto, um estudo americano concluiu que o café e o chá podem proteger a pessoa dela. Foram analisados mais de 5 mil norte-americanos. O que se descobriu é que 1,4% dos participantes tinham a bactéria no sangue. Porém, as pessoas que beberam café ou chá quente, pelo menos uma vez por mês, tinham menor risco de serem infectadas por ela. Por Carolina Abranches

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;