Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Papa pede à ONU que interfira na guerra de Kosovo


Do Diário do Grande ABC

29/04/1999 | 10:40


O papa Joao Paulo II exortou nesta quinta-feira as Naçoes Unidas a exigirem um papel na crise de Kosovo e a ajudarem a encontrar um meio de pôr fim ao conflito.

Numa carta ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan, o papa disse que continua convencido de que "só negociaçoes sinceras, pacientes e realistas" poderao acabar com a crise. Diante da "deportaçao de uma populaçao aterrorizada a cada tipo de opressao e com os bombardeios", o papa pediu a Annan que ajude a encontrar o "caminho do diálogo" para acabar a guerra.

Annan está em Moscou com outros diplomatas em busca de uma soluçao política. A Rússia disse que tem um novo plano para resolver a crise e enviar a Kosovo uma força de paz internacional sob o controle da ONU, desde que a Otan suspenda seus ataques. O enviado Viktor Chernomyrdin, que lidera os esforços de Moscou, disse que apresentará a proposta russa em Bonn, Roma e Belgrado, nesta quinta e sexta-feira.

Nesta quinta, o papa aceitou duas ambulâncias para os refugiados de Kosovo, doadas por uma universidade de Roma, e pediu aos estudantes que rezem para que o conflito termine logo. Joao Paulo II foi de helicóptero ao complexo universitário Tor Vergata, na periferia de Roma, escolhido como o lugar onde, em agosto de 2000, será celebrado o Dia Mundial da Juventude, organizado pela Igreja Católica. O Vaticano espera a participaçao de 1,5 milhao de jovens nas cerimônias.

Depois de chegar ao complexo universitário, o papa foi saudado por centenas de pessoas. Raffaella Sasso, estudante de medicina, lhe disse que os estudantes "participam de sua incessante busca pela paz" e que ofereciam sua ajuda humanitária, que incluiu as duas ambulâncias e um aparelho cardíaco. O papa respondeu que, junto com a ajuda concreta, está a "esperança de que a guerra termine o mais breve possível e o conflito das armas dê lugar ao diálogo e à paz".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;