Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

No tempo das garotas-propaganda

Entravam no ar ao vivo. Não podiam errar. Eram bonitas. Não apelavam para cirurgia plástica. Beleza natural. E fizeram história, como narra o professor Antonio de Andrade na continuidade desta série sobre os 70 anos da televisão no Brasil


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

07/11/2020 | 07:00


 Elas usavam ‘dálias’

Texto: Antonio de Andrade

Nas primeiras semanas de transmissão da TV Tupi, em 1950, não eram apresentados anúncios publicitários ou programas patrocinados. A exceção foi a Companhia Antarctica, que fez parte do pacote financeiro que possibilitou Assis Chateaubriand viabilizar seu projeto.

O interesse das agências publicitárias teve origem num episódio prosaico narrado pelo Estadão em 4 de outubro de 1975:

Certa vez a Tupi de São Paulo colocou uma jovem diante das câmeras, dizendo que certa loja venderia determinado artigo por preço menor, no dia seguinte. Resultado, a loja que estava tentando se livrar de umas 200 peças encalhadas teve que encomendar 5.000 na fábrica. Estava provada a eficácia da TV como veículo de venda e, ao mesmo tempo, nascia a primeira garota-propaganda: Rosa Maria, contratada com exclusividade para os comerciais da Marcel Modas.

O sucesso do caso ‘Marcel Modas’ despertou o mercado publicitário. Algumas garotas eram selecionadas e treinadas pelas próprias agências e reinariam no vídeo por uma década, até a chegada do videotaipe no início dos anos 1960.

Informa a atriz Vida Alves, que foi garota-propaganda, no livro TV Tupi, Uma Linda História de Amor: As moças chegavam a fazer de dez a 15 comerciais por dia. Vendiam como quem vende pãozinho quente. Usavam ‘dálias’, cartolinas colocadas ao lado da câmera e onde estava o texto.

Estabelecimentos famosos, alguns já extintos, ficaram eternizados na memória dos telespectadores graças à beleza, simpatia, elegância e acuidade verbal das garotas-propaganda.

Os marcianos estão chegando...

Texto: Milton Parron

A Guerra dos Mundos, romance de H. G. Wells de 1898, adaptado para o rádio por Orson Welles e levado ao ar no dia 30 de outubro de 1938 é, até hoje, uma das maiores demonstrações da força extraordinária desse veículo de comunicação. 

Foi transmitido durante o programa The Mercury Theatreonthe Air que era veiculado por uma pequena emissora da rede CBS e, graças aos efeitos de sonoplastia mais os textos e interpretações carregados de emoção, levaram os ouvintes a acreditar que os marcianos estavam invadindo a Terra e algumas naves já tinham pousado numa fazenda em Grover’s Mill, Nova Jersey. 

Foi tão bem encenada a simulação que o medo paralisou três cidades citadas na fictícia descrição, Nova Jersey, Newark e Nova York. 

As linhas telefônicas com essas cidades, e muitas outras, congestionaram e milhares procuravam fugir para locais que supunham ser mais seguros. 

No programa Memória deste fim de semana, 7 e 8, será apresentada a versão original de A Guerra dos Mundos, produção radiofônica que apavorou os moradores da Costa Leste dos Estados Unidos na véspera do Hallween (Dia das Bruxas) de 1938. 

Sem traduções, porque a sonoplastia e a entonação dos atores dispensam, e comentários de um ilustre professor de Comunicações da ECA/USP, Mário Fannuchi, explicando detalhadamente os riscos de um rádio produzido sem os devidos cuidados.

EM PAUTA – Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – A Guerra dos Mundos. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 22h (ou após o futebol), com reprise amanhã, domingo, às 7h.

Diário há meio século

Sábado, 7 de novembro de 1970 – ano 13, edição 1378

Manchete – Ônibus bate em caminhão e capota no km 31 da Via Anchieta. Os dez passageiros mais o motorista da Empresa Rápido Brasil sofrem ferimentos.

Esportes – Pelo Campeonato de Basquete Masculino da Grande São Paulo, no Clube Atlético Pirelli, em Santo André, Sírio (campeão brasileiro) 88, Pirelli 60.

Sírio: Dodi, Radvillas, Gilberto, Rubens, Fritz, Moutinho, Mosquito e Paulo.

Pirelli: Guzzo, Vitale, Iguatemi, Emerson, Fiorizzi, Tenente e Homero.

Variedades – Tarcisio Meira e Glória Menezes visitam Santo André. Descem de helicóptero no Paço Municipal. Visitam o Teatro Municipal, em obras. E seguem para o prédio da Haspa, na Rua Senador Flaquer, para autografar cadernetas de poupança. Era tanta gente que não conseguiram assinar nenhuma.

Em 7 de novembro de...

1910 – Poeta Henrique Ludovico Gianotto nasce na Linha Rio Grande – atual distrito de Riacho Grande, em São Bernardo.

1915 – Banda de Música União Operária, de Santo André, realiza um concerto no Teatro Carlos Gomes. Programa em duas partes, com as marchas Ricordo América e Festa a Roma, Ave Maria, Canção Guarani, valsa La Paz e a sinfonia 

1920 – Diversas famílias de ciganos fixaram residência em Santo André, adquirindo imóveis.

1930 – Armando Setti, de São Bernardo, nomeado prefeito ‘provisório’ de São Bernardo. Substituí ao republicano prefeito Saladino, que esteve à frente da política municipal desde 1914.

Governo ‘provisório’ da República do Brasil decide exilar o presidente deposto Washington Luiz e sequestrar os seus bens.

A Áustria reconhece o novo governo.

Em São Paulo, presos da revolução são enviados ao Presídio Político da Imigração.

1985 – Funcionalismo municipal de Mauá conquista aumento de 241%.

2000 – MRV/São Bernardo é campeão paulista de vôlei feminino ao vencer o Blue Life/Pinheiros por 3 sets a 1. 

Hoje

Dia do Radialista, para lembrar o dia do nascimento do compositor, músico e radialista Ary Barroso.

Santos do Dia

Prosdócimo

Ernesto de Zwiefalten

Augusto Ramirez Monastério



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

No tempo das garotas-propaganda

Entravam no ar ao vivo. Não podiam errar. Eram bonitas. Não apelavam para cirurgia plástica. Beleza natural. E fizeram história, como narra o professor Antonio de Andrade na continuidade desta série sobre os 70 anos da televisão no Brasil

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

07/11/2020 | 07:00


 Elas usavam ‘dálias’

Texto: Antonio de Andrade

Nas primeiras semanas de transmissão da TV Tupi, em 1950, não eram apresentados anúncios publicitários ou programas patrocinados. A exceção foi a Companhia Antarctica, que fez parte do pacote financeiro que possibilitou Assis Chateaubriand viabilizar seu projeto.

O interesse das agências publicitárias teve origem num episódio prosaico narrado pelo Estadão em 4 de outubro de 1975:

Certa vez a Tupi de São Paulo colocou uma jovem diante das câmeras, dizendo que certa loja venderia determinado artigo por preço menor, no dia seguinte. Resultado, a loja que estava tentando se livrar de umas 200 peças encalhadas teve que encomendar 5.000 na fábrica. Estava provada a eficácia da TV como veículo de venda e, ao mesmo tempo, nascia a primeira garota-propaganda: Rosa Maria, contratada com exclusividade para os comerciais da Marcel Modas.

O sucesso do caso ‘Marcel Modas’ despertou o mercado publicitário. Algumas garotas eram selecionadas e treinadas pelas próprias agências e reinariam no vídeo por uma década, até a chegada do videotaipe no início dos anos 1960.

Informa a atriz Vida Alves, que foi garota-propaganda, no livro TV Tupi, Uma Linda História de Amor: As moças chegavam a fazer de dez a 15 comerciais por dia. Vendiam como quem vende pãozinho quente. Usavam ‘dálias’, cartolinas colocadas ao lado da câmera e onde estava o texto.

Estabelecimentos famosos, alguns já extintos, ficaram eternizados na memória dos telespectadores graças à beleza, simpatia, elegância e acuidade verbal das garotas-propaganda.

Os marcianos estão chegando...

Texto: Milton Parron

A Guerra dos Mundos, romance de H. G. Wells de 1898, adaptado para o rádio por Orson Welles e levado ao ar no dia 30 de outubro de 1938 é, até hoje, uma das maiores demonstrações da força extraordinária desse veículo de comunicação. 

Foi transmitido durante o programa The Mercury Theatreonthe Air que era veiculado por uma pequena emissora da rede CBS e, graças aos efeitos de sonoplastia mais os textos e interpretações carregados de emoção, levaram os ouvintes a acreditar que os marcianos estavam invadindo a Terra e algumas naves já tinham pousado numa fazenda em Grover’s Mill, Nova Jersey. 

Foi tão bem encenada a simulação que o medo paralisou três cidades citadas na fictícia descrição, Nova Jersey, Newark e Nova York. 

As linhas telefônicas com essas cidades, e muitas outras, congestionaram e milhares procuravam fugir para locais que supunham ser mais seguros. 

No programa Memória deste fim de semana, 7 e 8, será apresentada a versão original de A Guerra dos Mundos, produção radiofônica que apavorou os moradores da Costa Leste dos Estados Unidos na véspera do Hallween (Dia das Bruxas) de 1938. 

Sem traduções, porque a sonoplastia e a entonação dos atores dispensam, e comentários de um ilustre professor de Comunicações da ECA/USP, Mário Fannuchi, explicando detalhadamente os riscos de um rádio produzido sem os devidos cuidados.

EM PAUTA – Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – A Guerra dos Mundos. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 22h (ou após o futebol), com reprise amanhã, domingo, às 7h.

Diário há meio século

Sábado, 7 de novembro de 1970 – ano 13, edição 1378

Manchete – Ônibus bate em caminhão e capota no km 31 da Via Anchieta. Os dez passageiros mais o motorista da Empresa Rápido Brasil sofrem ferimentos.

Esportes – Pelo Campeonato de Basquete Masculino da Grande São Paulo, no Clube Atlético Pirelli, em Santo André, Sírio (campeão brasileiro) 88, Pirelli 60.

Sírio: Dodi, Radvillas, Gilberto, Rubens, Fritz, Moutinho, Mosquito e Paulo.

Pirelli: Guzzo, Vitale, Iguatemi, Emerson, Fiorizzi, Tenente e Homero.

Variedades – Tarcisio Meira e Glória Menezes visitam Santo André. Descem de helicóptero no Paço Municipal. Visitam o Teatro Municipal, em obras. E seguem para o prédio da Haspa, na Rua Senador Flaquer, para autografar cadernetas de poupança. Era tanta gente que não conseguiram assinar nenhuma.

Em 7 de novembro de...

1910 – Poeta Henrique Ludovico Gianotto nasce na Linha Rio Grande – atual distrito de Riacho Grande, em São Bernardo.

1915 – Banda de Música União Operária, de Santo André, realiza um concerto no Teatro Carlos Gomes. Programa em duas partes, com as marchas Ricordo América e Festa a Roma, Ave Maria, Canção Guarani, valsa La Paz e a sinfonia 

1920 – Diversas famílias de ciganos fixaram residência em Santo André, adquirindo imóveis.

1930 – Armando Setti, de São Bernardo, nomeado prefeito ‘provisório’ de São Bernardo. Substituí ao republicano prefeito Saladino, que esteve à frente da política municipal desde 1914.

Governo ‘provisório’ da República do Brasil decide exilar o presidente deposto Washington Luiz e sequestrar os seus bens.

A Áustria reconhece o novo governo.

Em São Paulo, presos da revolução são enviados ao Presídio Político da Imigração.

1985 – Funcionalismo municipal de Mauá conquista aumento de 241%.

2000 – MRV/São Bernardo é campeão paulista de vôlei feminino ao vencer o Blue Life/Pinheiros por 3 sets a 1. 

Hoje

Dia do Radialista, para lembrar o dia do nascimento do compositor, músico e radialista Ary Barroso.

Santos do Dia

Prosdócimo

Ernesto de Zwiefalten

Augusto Ramirez Monastério

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;