Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Fux cancela retorno presencial ao Supremo devido a surto de covid e gripe no DF



26/01/2022 | 17:12


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, decidiu nesta quarta-feira, 26, cancelar o retorno presencial à Corte previsto para o próximo dia 1º de fevereiro, quando termina oficialmente o recesso judicial. A decisão também impacta a tradicional cerimônia de abertura do ano no Poder Judiciário, momento em que autoridades como o presidente Jair Bolsonaro (PL) e os presidentes do Legislativo federal comparecem à Suprema Corte, mas que ocorrerá de maneira remota neste ano.

Na portaria com as novas diretrizes, o Fux também determina a prorrogação do trabalho remoto até o fim de fevereiro, "em razão dos índices elevados de transmissão e contaminação por Covid-19 e influenza no Distrito Federal", conforme nota divulgada pelo Supremo.

A decisão será publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJe) na próxima quinta-feira, 27. Em outubro do ano passado, Fux autorizou a retomada das atividades presenciais no Supremo mediante a apresentação do comprovante de vacinação contra a covid-19, o chamado "passaporte da vacina". A medida foi adotada em meio ao avanço do Programa de Operacionalização da Imunização (PNO) no País e, mesmo assim, o retorno ocorreu de maneira gradual durante o mês de novembro.

O presidente do Supremo é a primeira autoridade da praça dos Três Poderes a definir os protocolos de retomada das atividades em meio ao surto da variante Ômicron do novo coronavírus e da influenza. Os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ainda não definiram as diretrizes de retorno dos parlamentares às atividades legislativas no próximo dia 2 de fevereiro.

O Distrito Federal atingiu nesta terça, 25, a ocupação máxima dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis. Outros seis estados possuem taxas de ocupação acima de 80%, patamar considerado de risco por especialistas em saúde pública. Dados do Imperial College de Londres, referência nos estudos sobre a pandemia, constatou que a taxa de transmissão (Rt) no Brasil já é a maior desde julho de 2020, com 1,78, e segue em expansão. Isso significa que cada 100 pessoas contaminadas infectam outras 178.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;