Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Custo da cesta bate recorde em janeiro


Verônica Lima
Do Diário do Grande ABC

08/02/2008 | 07:00


A forte pressão exercida no valor dos alimentos no início do ano fez com que o custo da cesta básica no Grande ABC subisse 2,76% em janeiro e atingisse preço de R$ 297,53, recorde em relação aos meses de 2007. A exceção é o preço da carne que registrou queda de 9,44% no mês.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira pela Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), que realiza levantamento semanal do custo médio do conjunto dos gêneros alimentícios de primeira necessidade na região.

Comparando com a pesquisa da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), o valor da cesta básica nas seis cidades é R$ 72,58 mais caro que o da Capital paulista, que registrou alta no mês passado de 1,64%, e passou a custar R$ 224,95.

Mais caros - Segundo o engenheiro agrônomo da Craisa, Fábio Vezzá de Benedetto, entre os produtos que impulsionaram o aumento do conjunto de produtos na região estão o tomate, que teve reajuste de 63,95%, a cebola (49,82%), o feijão carioca (11,14%), o óleo de soja (10,22%), o leite (5,32%) e o frango (3,34%).

“As chuvas nas regiões produtoras, como Sumaré, Apiaí e Mogi Mirim(SP), foram as responsáveis pelo aumento do tomate nas últimas semanas”, explica Benedetto.

Mais baratos - Entretanto, a boa notícia para os consumidores foi que em janeiro as carnes bovinas de segunda e primeira ficaram, respectivamente, 9,44% e 1,87% mais em conta.

O mercado brasileiro avalia que a queda no próximo mês seja ainda mais acentuada, de até 20%, em razão do embargo da UE (União Européia) à carne bovina brasileira e o período de Quaresma – marcado pela diminuição do consumo do artigo.

“Para as próximas semanas, o cenário deverá ser de preços em baixa devido a vários fatores , como o pico de safra, o início do período de Quaresma e o embargo da Europa para importação das carnes brasileiras”, aponta Benedetto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;