Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

No Brasil, 62% dos idosos são responsáveis pelos domicílios


Do Diário OnLine

25/07/2002 | 10:50


O Censo 2000 apontou que 62,4% dos idosos são responsáveis pelos domicílios brasileiros, observando-se um aumento em relação a 1991, quando eles representavam 60,4%. Em 2000, 20% dos idosos sustentavam suas casas com seus rendimentos – aposentadoria ou pensão. Em 1991, a proporção era de 18,4%.

Quanto à distribuição por sexo, o estudo revelou que, em 2000, 37,6% dos responsáveis eram mulheres, correspondendo a 3,370 milhões de domicílios, enquanto, no início da década, a proporção atingia 31,9%.

Entre os domicílios sob a responsabilidade de idosos, os domicílios unipessoais, isto é, aqueles com apenas um morador, somavam, em 2000, 1,603 milhões de unidades. O estudo chama atenção para a elevada proporção de mulheres idosas que moravam só, em 2000 - cerca de 67%.

Em todo o País, 64,7% deles moram com ou sem cônjuge, mas com filhos e/ou outros parentes na mesma casa. Nos domicílios onde a idosa é responsável, é mais recorrente a forma de organização familiar sem o cônjuge (93,3%), porque, nestes casos, provavelmente, tais domicílios são ocupados pelas idosas viúvas.

De 1991 a 2000, o rendimento dos idosos cresceu 63% e passou de R$ 403 para R$ 657. Embora os últimos censos tenham revelado que a renda média do idoso ainda é menor do que a da população de dez anos ou mais de idade, seu crescimento foi maior, atingindo 63% entre 1991 e 2000 contra 42% da população de 10 anos ou mais.

Essa tendência repete-se na desagregação por áreas urbanas e rurais, com destaque para essas últimas que apresentaram um crescimento no rendimento médio dos idosos de quase 77%.

Segundo os resultados do Censo 2000, a renda dos idosos na área rural representa cerca de 40% da urbana, proporção similar a encontrada em 1991. Os dados revelam que não houve melhora significativa na última década.

Em geral, os Estados cujas áreas rurais são mais desenvolvidas, como os do Sul, de São Paulo e da fronteira agrícola dos cerrados (região Centro-Oeste e Rondônia), têm rendimentos médio urbano e rural para os idosos bastante próximos.

Entre os Estados, o Distrito Federal e o Rio de Janeiro têm os maiores rendimentos médios para os idosos (R$ 1.796 e R$ 1.018 respectivamente), seguidos pelos demais Estados da região Sudeste e Sul.

Já os estados do Nordeste têm os menores rendimentos, com destaque para o Maranhão, onde os idosos recebem, em média, R$ 287. No Rio de Janeiro, Niterói é o primeiro em rendimento (R$ 1.785) e Carapebus (R$ 278), o último.

Em geral, o estudo da distribuição dos rendimentos entre os idosos responsáveis pelos domicílios indica uma pequena melhora no período analisado: enquanto em 1991, mais da metade dos idosos responsáveis do País (52,1%) recebia até um salário mínimo, em 2000 esta proporção cai para 44,5%.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;