Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Japão deve adiar aumento de imposto e antecipar eleições



18/11/2014 | 04:52


O ministro do Japão, Shinzo Abe, deverá anunciar, ainda nesta terça-feira, o adiamento de um novo aumento do imposto sobre vendas, por enquanto programado para outubro do ano que vem, e uma antecipação para dezembro deste ano das eleições parlamentares. Antes disso, alguns dos líderes do governo e de seu partido já manifestam apoio ao primeiro-ministro.

O chefe de gabinete do governo, Yoshihide Suga, lembrou que, desde que Abe assumiu o cargo, em dezembro de 2012, a Bolsa de Tóquio tem subido, as empresas estão lucrando mais e o desemprego caiu. "A economia ainda está em um processo de recuperação estável", disse, um dia depois do mercado se surpreender com um recuo de 1,6% no Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, na comparação anualizada. Esta foi a segunda fez seguida que o país apresentou queda no trimestre, o que, para economistas, significa recessão técnica.

Para Suga, esse mau momento é temporário e foi causado pelo primeiro aumento do imposto sobre vendas, em abril, com a elevação da alíquota de 5% para 8%. Está agendado para outubro do ano que vem um novo aumento, dessa vez para 10%. Porém, há uma forte especulação no mercado para que o primeiro-ministro adie este aumento, para evitar mais estragos à economia. Etsuro Honda, um de seus conselheiros, acredita que a elevação deveria ser postergada para abril de 2017.

O primeiro-ministro tem dito repetidamente que vai decidir sobre o segundo aumento com base na conjunta econômica econômico. Com pesquisas que mostram que os eleitores são favoráveis ao aumento previsto, já que ele seria destinado a investimentos sociais, Abe planeja antecipar as eleições parlamentares para manter uma maioria na câmara baixa. Assim, Abe poderia continuar no poder e avançar com políticas impopulares, como reiniciar reatores nucleares e expandir o papel dos militares.

Os parlamentares do Partido Liberal Democrata, do qual Abe faz parte, acreiditam que as eleições serão como um referendo para a manutenção ou não da política econômica do primeiro-ministro. "Esta é uma etapa crucial para Abenomics (apelidado à política econômica de Abe)", disse o secretário-geral do partido, Sadakazu Tanigaki.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Japão deve adiar aumento de imposto e antecipar eleições


18/11/2014 | 04:52


O ministro do Japão, Shinzo Abe, deverá anunciar, ainda nesta terça-feira, o adiamento de um novo aumento do imposto sobre vendas, por enquanto programado para outubro do ano que vem, e uma antecipação para dezembro deste ano das eleições parlamentares. Antes disso, alguns dos líderes do governo e de seu partido já manifestam apoio ao primeiro-ministro.

O chefe de gabinete do governo, Yoshihide Suga, lembrou que, desde que Abe assumiu o cargo, em dezembro de 2012, a Bolsa de Tóquio tem subido, as empresas estão lucrando mais e o desemprego caiu. "A economia ainda está em um processo de recuperação estável", disse, um dia depois do mercado se surpreender com um recuo de 1,6% no Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, na comparação anualizada. Esta foi a segunda fez seguida que o país apresentou queda no trimestre, o que, para economistas, significa recessão técnica.

Para Suga, esse mau momento é temporário e foi causado pelo primeiro aumento do imposto sobre vendas, em abril, com a elevação da alíquota de 5% para 8%. Está agendado para outubro do ano que vem um novo aumento, dessa vez para 10%. Porém, há uma forte especulação no mercado para que o primeiro-ministro adie este aumento, para evitar mais estragos à economia. Etsuro Honda, um de seus conselheiros, acredita que a elevação deveria ser postergada para abril de 2017.

O primeiro-ministro tem dito repetidamente que vai decidir sobre o segundo aumento com base na conjunta econômica econômico. Com pesquisas que mostram que os eleitores são favoráveis ao aumento previsto, já que ele seria destinado a investimentos sociais, Abe planeja antecipar as eleições parlamentares para manter uma maioria na câmara baixa. Assim, Abe poderia continuar no poder e avançar com políticas impopulares, como reiniciar reatores nucleares e expandir o papel dos militares.

Os parlamentares do Partido Liberal Democrata, do qual Abe faz parte, acreiditam que as eleições serão como um referendo para a manutenção ou não da política econômica do primeiro-ministro. "Esta é uma etapa crucial para Abenomics (apelidado à política econômica de Abe)", disse o secretário-geral do partido, Sadakazu Tanigaki.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;