Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Lipson vai produzir cosmético para Yakult


Leone Farias
Da Redaçao

27/09/1999 | 22:19


A Lipson, de Diadema, fechou contrato para a produçao de cosméticos para a entrada da Yakult nesse mercado no país. Embora seja mais conhecida pelos produtos alimentícios que comercializa, a Yakult, que é multinacional, também possui ramificaçoes na área de produtos de beleza no Japao, onde está sediada.

Segundo a Yakult, a Lipson recebeu um investimento de R$ 3 milhoes para a fabricaçao inicial de 500 mil unidades, que começa no dia 1º de outubro. A Lipson preferiu nao comentar os detalhes do contrato. Com uma produçao voltada apenas para a terceirizaçao, nao pode revelar nenhuma informaçao sobre seus clientes, por questoes contratuais.

A produtora de cosméticos, de médio porte, fundada há dez anos, conta hoje com 200 funcionários e uma carteira de 250 clientes, para os quais fabrica em torno de 2 mil itens, segundo o sócio gerente Aléssio de Toledo Rodrigues.

Rodrigues afirma que a curto prazo nao há perspectiva de expansao da empresa. "Trabalhamos com capital próprio e para pequenas e médias empresas é difícil a obtençao de financiamento." Mas ele nao descarta ampliaçoes a médio prazo. "Dependerá da política de juros do governo e da retomada de crescimento da economia."

A Yakult Indústria e Comércio, de Sao Bernardo, diversifica-se, iniciando as atividades da Yakult Cosmetics no Brasil, com a expectativa de chegar a um faturamento de R$ 30 milhoes em cinco anos nessa área.

Desde 1961 no mercado japonês, a companhia traz para a unidade brasileira - em Sao Paulo, a única fora do Japao - a experiência na fabricaçao e comercializaçao de cosméticos biotecnológicos.

Sua chegada nessa área no país deveu-se a uma pesquisa realizada em 1997, que apontava um mercado em expansao - no Brasil o setor gira em torno de R$ 5 bilhoes ao ano só de vendas diretas, segundo o gerente comercial da Yakult Cosmetics, Henry Lippi.

Com uma estratégia agressiva de marketing - a empresa investe R$ 2 milhoes só na divulgaçao em jornais, revistas e TV -, chega ao mercado com linhas de tratamento facial importadas do Japao e linhas de tratamento corporal e maquilagem, com desenvolvimento e produçao nacional pela Lipson, sob o controle do Centro de Pesquisas do Japao. Também será feita no país a linha de perfumaria.

A comercializaçao dos produtos, uma linha de 42 itens, será feita por meio do sistema de revenda. Deverao ser recrutados na fase inicial 12 mil consultores de beleza, que serao revendedores autônomos, sem vínculos empregatícios. Os interessados podem entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800-132613.

Embora no início a produçao seja terceirizada, Lippi disse que há a perspectiva de implementaçao de uma unidade fabril no país dentro de três anos. Lippi acrescenta que o Grande ABC tem chances de ser escolhido para sediar a fábrica.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lipson vai produzir cosmético para Yakult

Leone Farias
Da Redaçao

27/09/1999 | 22:19


A Lipson, de Diadema, fechou contrato para a produçao de cosméticos para a entrada da Yakult nesse mercado no país. Embora seja mais conhecida pelos produtos alimentícios que comercializa, a Yakult, que é multinacional, também possui ramificaçoes na área de produtos de beleza no Japao, onde está sediada.

Segundo a Yakult, a Lipson recebeu um investimento de R$ 3 milhoes para a fabricaçao inicial de 500 mil unidades, que começa no dia 1º de outubro. A Lipson preferiu nao comentar os detalhes do contrato. Com uma produçao voltada apenas para a terceirizaçao, nao pode revelar nenhuma informaçao sobre seus clientes, por questoes contratuais.

A produtora de cosméticos, de médio porte, fundada há dez anos, conta hoje com 200 funcionários e uma carteira de 250 clientes, para os quais fabrica em torno de 2 mil itens, segundo o sócio gerente Aléssio de Toledo Rodrigues.

Rodrigues afirma que a curto prazo nao há perspectiva de expansao da empresa. "Trabalhamos com capital próprio e para pequenas e médias empresas é difícil a obtençao de financiamento." Mas ele nao descarta ampliaçoes a médio prazo. "Dependerá da política de juros do governo e da retomada de crescimento da economia."

A Yakult Indústria e Comércio, de Sao Bernardo, diversifica-se, iniciando as atividades da Yakult Cosmetics no Brasil, com a expectativa de chegar a um faturamento de R$ 30 milhoes em cinco anos nessa área.

Desde 1961 no mercado japonês, a companhia traz para a unidade brasileira - em Sao Paulo, a única fora do Japao - a experiência na fabricaçao e comercializaçao de cosméticos biotecnológicos.

Sua chegada nessa área no país deveu-se a uma pesquisa realizada em 1997, que apontava um mercado em expansao - no Brasil o setor gira em torno de R$ 5 bilhoes ao ano só de vendas diretas, segundo o gerente comercial da Yakult Cosmetics, Henry Lippi.

Com uma estratégia agressiva de marketing - a empresa investe R$ 2 milhoes só na divulgaçao em jornais, revistas e TV -, chega ao mercado com linhas de tratamento facial importadas do Japao e linhas de tratamento corporal e maquilagem, com desenvolvimento e produçao nacional pela Lipson, sob o controle do Centro de Pesquisas do Japao. Também será feita no país a linha de perfumaria.

A comercializaçao dos produtos, uma linha de 42 itens, será feita por meio do sistema de revenda. Deverao ser recrutados na fase inicial 12 mil consultores de beleza, que serao revendedores autônomos, sem vínculos empregatícios. Os interessados podem entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800-132613.

Embora no início a produçao seja terceirizada, Lippi disse que há a perspectiva de implementaçao de uma unidade fabril no país dentro de três anos. Lippi acrescenta que o Grande ABC tem chances de ser escolhido para sediar a fábrica.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;