Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Padarias crescem e se transformam em centros de serviços


William Glauber
Do Diário do Grande ABC

29/07/2005 | 08:21


Uma mistura de restaurante, loja de conveniênciae minimercado. Essa é a tendência que está dominando as padarias da região. A ampliação de serviços e produtos oferecidos é uma necessidade para atender mercado consumidor exigente. Hoje pelo menos 30% dos estabelecimentos do Grande ABC servem muito além do tradicional pãozinho francês, segundo informações da Aipan (Associação da Indústria de Panificação do ABC). Agora, café da manhã, lanches rápidos, refeições, sopas, jornais e revistas, entre outros produtos, estão no cardápio.

O presidente da associação, José Paulino, diz que há cinco anos os estabelecimentos passam por transformação. "As padarias precisaram mudar e se modernizaram para enfrentar a dura concorrência dos supermercados."

Para garantir faturamento, os proprietários estão atentos à qualidade. "Temos padarias que oferecem café da manhã com cinco tipos de sucos", conta o presidente da Aipan. "Hoje há na região algumas das melhores padarias do país. E muitas passam por reforma, reciclagem e inovam equipamentos."

Atento às mudanças, Alaércio Hygino, proprietário da Panificadora Cristal, em Santo André, procurou inovar ao abrir seu negócio há oitos anos. Com diversos serviços adicionais, a padaria foi aberta oferecendo almoço self service. "Na região temos muitos comércio. Percebi que as pessoas queriam um lugar diferene para almoçar."

Mas antes de inaugurar, Hygino fez levantamento para apurar o que os clientes gostariam de encontrar na padaria. A Cristal, além das refeições, serve café da manhã, pratos rápidos, lanches, pizzas e tem minimarcearia. "Se o cliente precisar de um produto qualquer, eu tenho o disque-tudo e entrego", conta Hygino.

Com unidades em Santo André e São Bernardo, a Brasileira também se destaca. As três unidades oferecem almoço e bufê por quilo. A supervisora de marketing Rosana Souza diz que a idéia de incorporar novos serviços surgiu por conta do mercado. "As pessoas querem cada vez mais conforto. Atendemos empresas até com coffee-break."

O gerente da unidade Jardim da Brasileira, em Santo André, Sérgio Bronetti diz que o padrão do bairro colabora com o sucesso. "Temos uma padaria com alto serviço, onde o que importa é a satisfação do cliente. São muitos os diferenciais, como self service, lanches especiais, sopas e ainda dois amplos estacionamentos", diz.

A Panificadora Central, de São Caetano, percorre a mesma tendência da Brasileira e da Cristal. O gerente Francisco Formigoni conta que, ao abrir a padaria há dois anos, os proprietários focaram em modernização. "O consumidor é exigente. Muitas padarias estão se reformando para atender a clientela", conta.

Em busca de atualização, representantes das três padarias visitaram este ano a Fipan (Feira Internacional da Panificação), que se encerra nesta sexta-feira no Expo Center Norte. O evento montou cozinha industrial ideal para fast food, seguindo a tendência das padarias de grandes centros urbanos. O gerente da Central comprou máquina industrial de produção de salgadinhos e dois fornos a lenha. A Cristal e a Brasileira ainda analisarão novos investimentos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Padarias crescem e se transformam em centros de serviços

William Glauber
Do Diário do Grande ABC

29/07/2005 | 08:21


Uma mistura de restaurante, loja de conveniênciae minimercado. Essa é a tendência que está dominando as padarias da região. A ampliação de serviços e produtos oferecidos é uma necessidade para atender mercado consumidor exigente. Hoje pelo menos 30% dos estabelecimentos do Grande ABC servem muito além do tradicional pãozinho francês, segundo informações da Aipan (Associação da Indústria de Panificação do ABC). Agora, café da manhã, lanches rápidos, refeições, sopas, jornais e revistas, entre outros produtos, estão no cardápio.

O presidente da associação, José Paulino, diz que há cinco anos os estabelecimentos passam por transformação. "As padarias precisaram mudar e se modernizaram para enfrentar a dura concorrência dos supermercados."

Para garantir faturamento, os proprietários estão atentos à qualidade. "Temos padarias que oferecem café da manhã com cinco tipos de sucos", conta o presidente da Aipan. "Hoje há na região algumas das melhores padarias do país. E muitas passam por reforma, reciclagem e inovam equipamentos."

Atento às mudanças, Alaércio Hygino, proprietário da Panificadora Cristal, em Santo André, procurou inovar ao abrir seu negócio há oitos anos. Com diversos serviços adicionais, a padaria foi aberta oferecendo almoço self service. "Na região temos muitos comércio. Percebi que as pessoas queriam um lugar diferene para almoçar."

Mas antes de inaugurar, Hygino fez levantamento para apurar o que os clientes gostariam de encontrar na padaria. A Cristal, além das refeições, serve café da manhã, pratos rápidos, lanches, pizzas e tem minimarcearia. "Se o cliente precisar de um produto qualquer, eu tenho o disque-tudo e entrego", conta Hygino.

Com unidades em Santo André e São Bernardo, a Brasileira também se destaca. As três unidades oferecem almoço e bufê por quilo. A supervisora de marketing Rosana Souza diz que a idéia de incorporar novos serviços surgiu por conta do mercado. "As pessoas querem cada vez mais conforto. Atendemos empresas até com coffee-break."

O gerente da unidade Jardim da Brasileira, em Santo André, Sérgio Bronetti diz que o padrão do bairro colabora com o sucesso. "Temos uma padaria com alto serviço, onde o que importa é a satisfação do cliente. São muitos os diferenciais, como self service, lanches especiais, sopas e ainda dois amplos estacionamentos", diz.

A Panificadora Central, de São Caetano, percorre a mesma tendência da Brasileira e da Cristal. O gerente Francisco Formigoni conta que, ao abrir a padaria há dois anos, os proprietários focaram em modernização. "O consumidor é exigente. Muitas padarias estão se reformando para atender a clientela", conta.

Em busca de atualização, representantes das três padarias visitaram este ano a Fipan (Feira Internacional da Panificação), que se encerra nesta sexta-feira no Expo Center Norte. O evento montou cozinha industrial ideal para fast food, seguindo a tendência das padarias de grandes centros urbanos. O gerente da Central comprou máquina industrial de produção de salgadinhos e dois fornos a lenha. A Cristal e a Brasileira ainda analisarão novos investimentos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;