Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Família dá ultimato pelo uso do Vera Cruz

Celso Luiz/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Contrato é assinado, mas detentores do nome de histórico estúdio querem pagamento na terça


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

16/10/2015 | 07:00


Detentora da marca Vera Cruz, a família Khouri determinou que a Telem S.A (Técnicas Eletromecânicas) precisa depositar os R$ 20 mil da primeira parcela do acordo até terça-feira para garantir o uso do nome no histórico complexo cinematográfico de São Bernardo, situado na Avenida Lucas Nogueira Garcez, e que se tornou referência da sétima arte no País entre os anos 1949 e 1955.

O contrato reformulado foi assinado ontem entre os proprietários dos royalties e a Telem, empresa que ganhou concessão do governo do prefeito Luiz Marinho (PT) para investir no espaço, se comprometendo a desembolsar R$ 156 milhões em investimentos em troca da exploração do local pelos próximos 30 anos.

Ao todo, os proprietários cobram R$ 550 mil pela cessão onerosa, também por período de 30 anos, e estabeleceram regra após a Telem dar calote no primeiro contrato, que previa quitação em cinco parcelas de R$ 105 mil.

Diante da proibição pelo uso da marca por causa da inadimplência, a Telem sugeriu novo acordo, dividido em 15 parcelas, a partir deste mês e com duração até dezembro do ano que vem. Foi aceito.

“Concordamos com a nova proposta, mas se até terça-feira não for honrado o acordo, não há mais negócio. Eles não deverão nada, mas também não poderão usufruir do nome”, argumentou Wilfred Khouri, representante da família proprietária da marca.

O novo acordo foi selado na sede da Telem, na Capital, e contou com a presença do secretário de Cultura de Marinho, Osvaldo Oliveira Neto.

Khouri revelou que a empresa admitiu a ele problemas com inadimplência por descumprir primeiro acordo financeiro. “Acabamos entendendo a situação. E buscamos essa convergência. O que tinha sido ruim foi a condução inicial por parte da empresa, que diante de estourar o vencimento legal, não dialogou”, adicionou.

No antigo documento, a primeira fatia, no valor de R$ 105 mil, estava estabelecida para ser quitada em 5 de setembro, com carência de um mês, porém, o débito não foi honrado. “Agora, estou com boa perspectiva porque houve disposição pelo acerto e a Prefeitura também ajudou”, concluiu Khouri.

Os pagamentos foram estipulados para todo dia 20 de cada mês. Em caso de atraso, a partir da parcela de novembro, está prevista carência de 30 dias, que será acrescida de multa e juros. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;