Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ferroban vai recuperar antiga Fepasa


Do Diário do Grande ABC

06/02/1999 | 13:37


A Ferroban, nova controladora da antiga Fepasa, privatizada no ano passado, vai investir R$ 250 milhoes nos próximos cinco anos para recuperar a mais importante ferrovia brasileira, que faz a conexao de todas as demais malhas ferroviárias com o Porto de Santos. A primeira providência dos novos controladores da antiga Fepasa foi fazer um diagnóstico completo da situaçao da empresa, que ficou completamente sucateada nas últimas duas décadas pela falta de investimentos. A última locomotiva comprada pela Fepasa entrou em operaçao há 25 anos.

O levantamento das condiçoes da empresa incluiu a contrataçao de uma equipe que fez um documentário em vídeo com mais de 30 horas de gravaçao. O documentário retrata a situaçao caótica em que se encontram as instalaçoes, trilhos e equipamentos. O objetivo da Ferroban é deixar claro que nao será fácil colocar a antiga Fepasa em ordem.

Dos 10 mil vagoes, quatro mil estao danificados e inutilizados. Das 500 locomotivas, apenas metade está em condiçoes de ser usada. As restantes estao paradas nas oficinas, por falta de peças de reposiçao. "O estado da empresa é deplorável", afirma o presidente da Ferroban, José Lindoso de Albuquerque Filho.

Por falta de segurança, a empresa interrompeu temporariamente o transporte de passageiros. Cerca de 1.500 pessoas por dia utilizava os trens da empresa. A Ferroban comprou a concessao para o transporte de cargas, mas assumiu o compromisso de manter o transporte de passageiros por um ano. "O risco de acidentes é tao grande que nao há condiçoes de manter o serviço", diz Lindoso.

O vídeo gravado pela Ferroban mostra as condiçoes caóticas em que a Fepasa estatal funcionava, com falta de sinalizaçao em passagens de nível, trilhos e depósitos invadidos pelo mato, trens corroídos pela ferrugem e totalmente deteriorados e outros exemplos de má administraçao e desperdício de recursos públicos. A equipe que passou seis dias viajando pela ferrovia flagrou várias composiçoes acidentadas e trilhos e dormentes com defeito que oferecem grande risco de descarrilamento.

"O caos é resultado de 30 anos sem investimentos", afirma o presidente da Ferroban, que promete revolucionar a empresa nos próximos cinco anos. O investimento no primeiro ano é de R$ 50 milhoes e terá como prioridade o sistema de comunicaçao. Os trens serao equipados com um dispositivo de controle por satélite que permite comunicaçao entre a central de operaçoes e os maquinistas.

Outra prioridade é a linha que interliga a Ferronorte ao Porto de Santos. Serao construídas três novas pontes e recuperadas outras 20 para permitir o escoamento da safra de soja do Centro- Oeste a partir de abril. A Ferronorte detém parte do controle da Ferroban.

Com algumas mudanças operacionais, a antiga Fepasa já começa a melhorar os resultados. A empresa ampliou os comboios de 20 para 80 vagoes. Os trens, que antes transportavam 2 mil toneladas, hoje levam até 6 mil toneladas.

Além de transportar cargas, a empresa quer investir também no transmissao de informaçoes, por uma rede de fibras óticas que será estendida ao longo dos cinco mil quilômetros de trilhos que cortam o território do Estado de Sao Paulo.

Para agregar valor ao projeto da infovia, a Fepasa decidiu reforçá-lo com todas as demais ferrovias brasileiras. Um comitê com representantes de todas as empresas ferroviárias está discutindo a viabilidade do investimento conjunto antes de contratar um parceiro no ramo das telecomunicaçoes, que será responsável pela instalaçao das redes.

A exploraçao do serviço de transmissao de dados tende a crescer nos próximos anos, graças à expansao dos serviços de telecomunicaçoes após a privatizaçao do sistema Telebrás, em julho do ano passado. Concessionários privados de rodovias e de distribuiçao de energia também já estao investindo na instalaçao de redes de fibras óticas nas suas áreas de atuaçao, como forma de obtençao de receita financeira extra.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ferroban vai recuperar antiga Fepasa

Do Diário do Grande ABC

06/02/1999 | 13:37


A Ferroban, nova controladora da antiga Fepasa, privatizada no ano passado, vai investir R$ 250 milhoes nos próximos cinco anos para recuperar a mais importante ferrovia brasileira, que faz a conexao de todas as demais malhas ferroviárias com o Porto de Santos. A primeira providência dos novos controladores da antiga Fepasa foi fazer um diagnóstico completo da situaçao da empresa, que ficou completamente sucateada nas últimas duas décadas pela falta de investimentos. A última locomotiva comprada pela Fepasa entrou em operaçao há 25 anos.

O levantamento das condiçoes da empresa incluiu a contrataçao de uma equipe que fez um documentário em vídeo com mais de 30 horas de gravaçao. O documentário retrata a situaçao caótica em que se encontram as instalaçoes, trilhos e equipamentos. O objetivo da Ferroban é deixar claro que nao será fácil colocar a antiga Fepasa em ordem.

Dos 10 mil vagoes, quatro mil estao danificados e inutilizados. Das 500 locomotivas, apenas metade está em condiçoes de ser usada. As restantes estao paradas nas oficinas, por falta de peças de reposiçao. "O estado da empresa é deplorável", afirma o presidente da Ferroban, José Lindoso de Albuquerque Filho.

Por falta de segurança, a empresa interrompeu temporariamente o transporte de passageiros. Cerca de 1.500 pessoas por dia utilizava os trens da empresa. A Ferroban comprou a concessao para o transporte de cargas, mas assumiu o compromisso de manter o transporte de passageiros por um ano. "O risco de acidentes é tao grande que nao há condiçoes de manter o serviço", diz Lindoso.

O vídeo gravado pela Ferroban mostra as condiçoes caóticas em que a Fepasa estatal funcionava, com falta de sinalizaçao em passagens de nível, trilhos e depósitos invadidos pelo mato, trens corroídos pela ferrugem e totalmente deteriorados e outros exemplos de má administraçao e desperdício de recursos públicos. A equipe que passou seis dias viajando pela ferrovia flagrou várias composiçoes acidentadas e trilhos e dormentes com defeito que oferecem grande risco de descarrilamento.

"O caos é resultado de 30 anos sem investimentos", afirma o presidente da Ferroban, que promete revolucionar a empresa nos próximos cinco anos. O investimento no primeiro ano é de R$ 50 milhoes e terá como prioridade o sistema de comunicaçao. Os trens serao equipados com um dispositivo de controle por satélite que permite comunicaçao entre a central de operaçoes e os maquinistas.

Outra prioridade é a linha que interliga a Ferronorte ao Porto de Santos. Serao construídas três novas pontes e recuperadas outras 20 para permitir o escoamento da safra de soja do Centro- Oeste a partir de abril. A Ferronorte detém parte do controle da Ferroban.

Com algumas mudanças operacionais, a antiga Fepasa já começa a melhorar os resultados. A empresa ampliou os comboios de 20 para 80 vagoes. Os trens, que antes transportavam 2 mil toneladas, hoje levam até 6 mil toneladas.

Além de transportar cargas, a empresa quer investir também no transmissao de informaçoes, por uma rede de fibras óticas que será estendida ao longo dos cinco mil quilômetros de trilhos que cortam o território do Estado de Sao Paulo.

Para agregar valor ao projeto da infovia, a Fepasa decidiu reforçá-lo com todas as demais ferrovias brasileiras. Um comitê com representantes de todas as empresas ferroviárias está discutindo a viabilidade do investimento conjunto antes de contratar um parceiro no ramo das telecomunicaçoes, que será responsável pela instalaçao das redes.

A exploraçao do serviço de transmissao de dados tende a crescer nos próximos anos, graças à expansao dos serviços de telecomunicaçoes após a privatizaçao do sistema Telebrás, em julho do ano passado. Concessionários privados de rodovias e de distribuiçao de energia também já estao investindo na instalaçao de redes de fibras óticas nas suas áreas de atuaçao, como forma de obtençao de receita financeira extra.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;