Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Chefe russo visita Belgrado após revoluçao


Do Diário do Grande ABC

06/10/2000 | 09:04


O presidente russo Vladimir Putin enviou nesta sexta-feira o chefe de sua diplomacia, Igor Ivanov, a Belgrado, em uma missao tardia e cheia de mistérios, ainda mais que Moscou afirmou que a questao de um asilo político para Milosevic nao está sendo analisada.

Ele já se encontrou com Kostunica, na sala de trabalho de Slobodan Milosevic, no Palácio da Federaçao, a própria sede do governo.

Enquanto os países ocidentais celebravam ``o fim da era Milosevic'', os russos diziam acreditar ainda em uma soluçao negociada.

A imprensa russa foi severa nesta sexta-feira com o Kremlin, qualificando sua posiçao sobre a crise iugoslava de ``ininteligível''.

``Os russos tinham um trunfo para usar e o deixaram perder'', estimou um diplomata ocidental em alusao às pressoes ocidentais sobre os russos para que reconheçam a vitória da oposiçao nas eleiçoes do dia 24 de setembro passado.

Vladimir Putin nao deu uma explicaçao oficial para o envio do chefe de sua diplomacia e Belgrado, decidido ao término de uma reuniao de emergência no aeroporto de Cheremetivo, ontem à noite, no retorno de Putin de uma viagem à India.

Segundo o presidente da Duma (câmara baixa do Parlamento russo), o comunista Guennadi Seleznev, Ivanov foi a Belgrado ``para tomar conhecimento da situaçao e definir com mais precisao a posiçao da Rússia''.

Ivanov viajou em companhia do enviado especial russo para os Bálcas, Vladimir Chishov, e pelo diretor do departamento europeu encarregado da Iugoslávia, Alexandre Tolkach. Os dois diplomatas tinham acabado de voltar de uma viagem à Iugoslávia.

Ao contrário dos ocidentais e apesar de suas pressoes, Moscou nao pediu a Milosevic para sair. O presidente Putin havia proposto um encontro em Moscou entre Milosevic e Kostunica, para tentar solucionar a crise política, uma iniciativa que fracassou.

Ao voltar da India na noite de quinta-feira, Putin mostrou-se consternado com o agravamento da situaçao na Iugoslávia. ``O confronto político chegou a um ponto crítico, tudo o que acontecer agora poderá degenerar em violência direta e isto seria inadmissível'', declarou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Chefe russo visita Belgrado após revoluçao

Do Diário do Grande ABC

06/10/2000 | 09:04


O presidente russo Vladimir Putin enviou nesta sexta-feira o chefe de sua diplomacia, Igor Ivanov, a Belgrado, em uma missao tardia e cheia de mistérios, ainda mais que Moscou afirmou que a questao de um asilo político para Milosevic nao está sendo analisada.

Ele já se encontrou com Kostunica, na sala de trabalho de Slobodan Milosevic, no Palácio da Federaçao, a própria sede do governo.

Enquanto os países ocidentais celebravam ``o fim da era Milosevic'', os russos diziam acreditar ainda em uma soluçao negociada.

A imprensa russa foi severa nesta sexta-feira com o Kremlin, qualificando sua posiçao sobre a crise iugoslava de ``ininteligível''.

``Os russos tinham um trunfo para usar e o deixaram perder'', estimou um diplomata ocidental em alusao às pressoes ocidentais sobre os russos para que reconheçam a vitória da oposiçao nas eleiçoes do dia 24 de setembro passado.

Vladimir Putin nao deu uma explicaçao oficial para o envio do chefe de sua diplomacia e Belgrado, decidido ao término de uma reuniao de emergência no aeroporto de Cheremetivo, ontem à noite, no retorno de Putin de uma viagem à India.

Segundo o presidente da Duma (câmara baixa do Parlamento russo), o comunista Guennadi Seleznev, Ivanov foi a Belgrado ``para tomar conhecimento da situaçao e definir com mais precisao a posiçao da Rússia''.

Ivanov viajou em companhia do enviado especial russo para os Bálcas, Vladimir Chishov, e pelo diretor do departamento europeu encarregado da Iugoslávia, Alexandre Tolkach. Os dois diplomatas tinham acabado de voltar de uma viagem à Iugoslávia.

Ao contrário dos ocidentais e apesar de suas pressoes, Moscou nao pediu a Milosevic para sair. O presidente Putin havia proposto um encontro em Moscou entre Milosevic e Kostunica, para tentar solucionar a crise política, uma iniciativa que fracassou.

Ao voltar da India na noite de quinta-feira, Putin mostrou-se consternado com o agravamento da situaçao na Iugoslávia. ``O confronto político chegou a um ponto crítico, tudo o que acontecer agora poderá degenerar em violência direta e isto seria inadmissível'', declarou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;