Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Chrysler distante da 'onda verde'

Wagner Oliveira/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Wagner Oliveira
Enviado a Detroit

12/01/2011 | 07:09




Das três marcas norte-americanas anfitriãs do Salão de Detroit, estranhamente é a Chrysler a que tem maior perspectiva de emplacar no Brasil modelos apresentados na edição 2011 do evento. Segundo representante da empresa, serão vendidos no mercado nacional o novo 300 C, o crossover Journey, que passou por reestilização, a minivan Town & Country e o muscle car Dodge Challenger. Até o fim do ano, eles já deverão estar por aqui.

Mas ainda não foi desta vez que a fusão com a Fiat mostrou frutos. Por falar em Fiat, a única coisa que a montadora de origem italiana exibiu em Detroit foi uma versão esportiva do compacto 500.

No estande predominaram os carrões da Chrysler, que ainda está longe de embarcar na tendência dos compactos híbridos ou elétricos. Ressurgindo das cinzas, a montadora ainda está na fase de renovar modelos criados na era da fusão com a Daimler, que investiu nos grandes e potentes sem ter sucesso nos Estados Unidos.

Entre as novidades apresentadas pela marca, a que mais chamou a atenção foi o 300 C, que ficou com aparência muito mais refinada em relação ao modelo anterior. O detalhe que mais salta aos olhos na dianteira são as luzes em LED, que contornam os faróis e que agora casam melhor com a silhueta do grandalhão de cinco metros de comprimento.

Buscando reconquistar o glamour perdido nos Estados Unidos, o 300 C passa a ser equipado com novo motor Pentastar 3.6 V6. Segundo a montadora, o propulsor entrega 292 cv de potência. Além disso, oferece o Hemi de 5,7 litros e oito cilindros em ‘V', que disponibiliza 363 cv. Quando está em baixas rotações, o motor Hemi trabalha com apenas quatro cilindros para economizar combustível. Isto é o mais próximo que a Chrysler, por enquanto, tem para dar sustentabilidade a seus veículos. Ou seja, eficiência ainda não é o seu forte.

Nos Estados Unidos, o 300 C continuará a ser vendido a US$ 28 mil, preço que não impediu que suas vendas despencassem na América.

No Brasil, o modelo não é oferecido há alguns meses, desde quando acabou seu estoque. Quando voltar a ser reimportado, o modelo deverá continuar sendo oferecido em torno dos R$ 130 mil.

O Journey está com acabamento muito mais primoroso na versão apresentada em Detroit. Oferecida atualmente em duas opções que variam de R$ 79 mil a R$ 107 mil, o crossover deverá manter o mesmo preço após a reestilização, que deixou frente e traseira muito mais harmoniosas com as linhas laterais.

Embora estivesse com a marca Dodge e com a nomenclatura Caravan, a minivan exposta no Salão de Detroit é a mesma Town & Country que no Brasil leva a marca Chrysler e tem público pequeno, mas cativo. Com espaço para sete passageiros, o veículo, reformulado interna e externamente, deverá continuar a ser ofertado em torno dos R$ 180 mil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;