Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Futuro do Best deve ser definido até o meio do ano

Demolição do antigo shopping, que passou 15 anos abandonado, foi concluída em dezembro, mas até agora não há projeto para área


Natália Scarabotto
especial para o Diário

20/02/2016 | 07:00


O futuro do terreno onde ficava o Best Shopping, na Chácara Inglesa, em São Bernardo, segue incerto após a demolição, que foi finalizada em dezembro. Por enquanto, a venda da área é a possibilidade mais cogitada, mas quatro proprietários ainda não aderiram à ideia. A decisão deve ser tomada até junho.

O intuito dos responsáveis é utilizar o valor adquirido com a venda do espaço de 8.400 m² para pagar dívida de quase R$ 12 milhões do antigo centro comercial. A venda do terreno para quitar o débito e acabar com os custos fixos dos proprietários é a solução mais provável. Para isso, faltam quatro proprietários aderirem a uma matrícula única – que vem sendo criada desde junho do ano passado. Ao todo, são 162 matrículas e 222 famílias responsáveis pelas antigas lojas do Best Shopping.

“O primeiro estágio foi a demolição. O prédio não servia mais para nada. Estamos, com calma, aguardando eles aceitarem e o período de crise (econômica do Brasil) passar para decidirmos”, afirmou o advogado e administrador do caso, Marco Alexandre.

Com o caso correndo na Justiça, a resolução deve sair até o meio deste ano. “Não vejo viabilidade econômica de eles pagarem (parte das despesas) nem motivo, é um valor muito alto. Eles (quatro) não têm força para não aprovar a decisão”, completou o advogado.

Outra opção é a construção de centro empresarial. De acordo com o advogado, para tal projeto é necessária a aprovação da maioria. Cada proprietário arcaria com uma parte dos custos da obra. O advogado afirmou ainda que a criação de moradias está fora de questão por se tratar de área de uso misto.

 

DEMOLIÇÃO

Depois de 15 anos de abandono, a construção finalmente veio abaixo. O prédio foi demolido entre outubro e dezembro, por pressão da Prefeitura e do Ministério Público. Depois de desativado, o centro comercial havia se tornado abrigo de moradores de rua e ponto de consumo de drogas, causando insegurança à vizinhança.

Os moradores acreditam que a destruição tenha sido a melhor solução para o problema. “Pelo menos estão mexendo aí agora. Era ruim do jeito que estava: perigoso e sujo. Ninguém cuidava”, afirmou a aposentada Claudia Santos, 65 anos.

A demolição custou R$ 2,6 milhões aos proprietários. A limpeza do terreno ainda está sendo feita e não tem prazo para terminar. Até a conclusão, serão utilizados mais de 1.000 caminhões para retirar o entulho.

O Best Shopping foi inaugurado no ano de 1987. Em julho de 1999, foi lacrado pela Prefeitura por conta da falta de alvará do Corpo de Bombeiros.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Futuro do Best deve ser definido até o meio do ano

Demolição do antigo shopping, que passou 15 anos abandonado, foi concluída em dezembro, mas até agora não há projeto para área

Natália Scarabotto
especial para o Diário

20/02/2016 | 07:00


O futuro do terreno onde ficava o Best Shopping, na Chácara Inglesa, em São Bernardo, segue incerto após a demolição, que foi finalizada em dezembro. Por enquanto, a venda da área é a possibilidade mais cogitada, mas quatro proprietários ainda não aderiram à ideia. A decisão deve ser tomada até junho.

O intuito dos responsáveis é utilizar o valor adquirido com a venda do espaço de 8.400 m² para pagar dívida de quase R$ 12 milhões do antigo centro comercial. A venda do terreno para quitar o débito e acabar com os custos fixos dos proprietários é a solução mais provável. Para isso, faltam quatro proprietários aderirem a uma matrícula única – que vem sendo criada desde junho do ano passado. Ao todo, são 162 matrículas e 222 famílias responsáveis pelas antigas lojas do Best Shopping.

“O primeiro estágio foi a demolição. O prédio não servia mais para nada. Estamos, com calma, aguardando eles aceitarem e o período de crise (econômica do Brasil) passar para decidirmos”, afirmou o advogado e administrador do caso, Marco Alexandre.

Com o caso correndo na Justiça, a resolução deve sair até o meio deste ano. “Não vejo viabilidade econômica de eles pagarem (parte das despesas) nem motivo, é um valor muito alto. Eles (quatro) não têm força para não aprovar a decisão”, completou o advogado.

Outra opção é a construção de centro empresarial. De acordo com o advogado, para tal projeto é necessária a aprovação da maioria. Cada proprietário arcaria com uma parte dos custos da obra. O advogado afirmou ainda que a criação de moradias está fora de questão por se tratar de área de uso misto.

 

DEMOLIÇÃO

Depois de 15 anos de abandono, a construção finalmente veio abaixo. O prédio foi demolido entre outubro e dezembro, por pressão da Prefeitura e do Ministério Público. Depois de desativado, o centro comercial havia se tornado abrigo de moradores de rua e ponto de consumo de drogas, causando insegurança à vizinhança.

Os moradores acreditam que a destruição tenha sido a melhor solução para o problema. “Pelo menos estão mexendo aí agora. Era ruim do jeito que estava: perigoso e sujo. Ninguém cuidava”, afirmou a aposentada Claudia Santos, 65 anos.

A demolição custou R$ 2,6 milhões aos proprietários. A limpeza do terreno ainda está sendo feita e não tem prazo para terminar. Até a conclusão, serão utilizados mais de 1.000 caminhões para retirar o entulho.

O Best Shopping foi inaugurado no ano de 1987. Em julho de 1999, foi lacrado pela Prefeitura por conta da falta de alvará do Corpo de Bombeiros.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;