Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PSB 'esquece' integrante do 1º escalão de Auricchio


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

18/11/2010 | 07:27


Apesar de reivindicar mais espaço dentro da administração do prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PTB), a bancada do PSB ‘esqueceu' de mencionar que duas secretarias são comandadas por integrantes da executiva municipal da sigla.

Além de Geová Maria de Faria, que ocupa a Pasta de Serviços Urbanos, Marcelo Ferreira de Souza, de Mobilidade Urbana, passou despercebido pelos vereadores ao reivindicarem poder na Prefeitura. A legenda ainda possui cargos de assessores diretos em outros níveis do governo, como Desenvolvimento Econômico, Esportes e gabinete.

O vereador Maurício Fernandes (PSB) fez o mea-culpa, só que não deixou de sustentar o requerimento proposto ao Executivo. "Foi falha minha. Esqueci mesmo da existência de outro nome do partido no 1º escalação de Auricchio de acrescentar o Marcelo, que inclusive faz parte da executiva do partido e está à frente de uma secretaria bastante importante. Mas mesmo assim queremos conversar, discutir espaço para negociação política. Por quantas secretarias são compostas o Executivo? Em torno de 19 Pastas, além de outros setores, então, pleiteamos apenas mais força ao partido."

Nos corredores do Legislativo, dirigentes de siglas e até mesmo parlamentares da base aliada afirmam que o prefeito não costuma ser flexível quanto a abrir a administração e ouvir as suas demandas. Contudo, além do PSB, Osvaldo Ceoldo, do PV de Mauá, integra a Pasta de Meio Ambiente, Moacyr Rodrigues e Tite Campanella, do DEM, ocupam a Secretaria de Segurança Pública e Governo, respectivamente, e Luiz Antônio Cicaroni, do PP, a chefia de gabinete do Paço.

Tite Campanella, por sua vez, viu com normalidade a reclamação do PSB, que coloca como justificativa para o "pedido" o fato de compor a segunda maior bancada da Câmara. "Não vejo nem como pressão. É briga por mais espaço, uma aspiração legítima, normal no processo político. Essa é a área de trabalho na qual eles buscam maior participação, acontece em todas as esferas de governo. Isso é bom no que tange o fortalecimento da legenda", esclareceu.

Campanella acredita que o episódio nem de perto irá abalar a relação de Auricchio com o Legislativo. "O prefeito não trabalha sob essa condição nem faz cotas para partidos, ele escolhe o titular pela participação política com capacidade técnica. Inclusive não vejo, pelo menos a curto prazo, a possibilidade de alteração de nenhum nome do secretariado, já que promovemos balanço periódico da administração e estamos contentes com o resultado que se reflete na cidade."

Procurados, os dois componentes do primeiro escalão filiados ao PSB não quiseram polemizar com os parlamentares e preferiram se esquivar de comentar o assunto.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;