Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

IOF será insuficiente para barrar dólar, diz especialista



14/10/2010 | 07:25


A média diária de ingresso de dólares pela via financeira caiu 63,1% desde o dia 5, quando começou a vigorar a nova alíquota de 4% do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para aplicações de renda fixa. Segundo o Banco Central, o Brasil recebeu, na média, US$ 293,4 milhões a cada dia entre os dias 5 e 8. O valor é bem inferior à média diária de US$ 796 milhões registrada em setembro. Na comparação com os dois primeiros dias de outubro, quando a média ficou em US$ 1,045 bilhão, a queda é de 71,9%. Analistas afirmam que essa queda é explicada, sobretudo, pelos números "inflados" do mês passado, quando a Petrobras realizou a maior operação de capitalização do mundo.

Apesar da retração expressiva em relação aos dois primeiros dias de outubro e a todo mês de setembro, a média de ingresso de capital financeiro segue em ritmo muito maior que o visto nos meses anteriores à operação da Petrobras. Se a comparação for com agosto, por exemplo, a média diária de ingresso de dólares para operações financeiras saltou 436%, naquele mês a média ficou em US$ 54,7 milhões. Se a comparação for com julho, o salto no período pós IOF é de 333%.

Para analistas, esse aumento de ingresso em relação ao período anterior à Petrobras reafirma a percepção de que o novo IOF deve ter pouco efeito no fluxo de dólares. Para o mercado, houve queda em relação a setembro apenas pela capitalização da Petrobras, o que inflou os números do mês passado e do início de outubro, mas prevalece o entendimento de que o diferencial brasileiro de juro vai continuar atraindo estrangeiros.

"Em setembro, o resultado veio fora do comum porque houve contaminação pelo aumento de capital da Petrobras. Se tirarmos esse fato extra, avaliamos que o impacto do IOF é pequeno porque os juros ainda são muito elevados no Brasil", diz a economista-chefe da Rosenberg & Associados, Thais Zara.

Ela explica que o estrangeiro tem sido atraído fortemente ao Brasil porque o País paga um dos maiores juros reais do mundo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;