Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Festa da CUT em S.Bernardo atrai 40 mil


Alexandre Melo
Do Diário do Grande ABC

02/05/2010 | 07:05


Dez horas de shows atraíram 40 mil pessoas ao Paço Municipal de São Bernardo, ontem, durante as comemorações do Dia do Trabalho. Neste ano o dobro de pessoas foi à festa organizada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), mas em comparação com Santo André foi metade do público.

O SMABC (Sindicato dos Metalúrgicos do ABC) e mais 14 sindicatos cutistas também foram responsáveis pelo evento, cujas principais reivindicações foram a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e capacitação da mão de obra.

Ao longo do dia aconteceram 20 apresentações, reunindo 120 artistas nacionais e regionais como Leonardo, João Bosco & Vinícius, Luan Santana, Art Popular, Namoro.com e Grupo Sorriso Negro.

De acordo com o presidente do SMABC, Sérgio Nobre, 70% dos metalúrgicos da região têm jornada inferior a 44 horas semanais, conquistadas em negociações coletivas individuais por empresa. "Jornada menor possibilita ao profissional investir na formação", diz.

Para o sindicalista a falta de mão de obra capacitada preocupa o setor, além de diminuir as chances de colocação do profissional.

A respeito da discussão sobre o reajuste de 7,7% no salário dos aposentados, Nobre destaca que a CUT é favorável, porque " estimula a economia e o consumo".

Para o metalúrgico andreense Wagner Lima, 39 anos, funcionário da Volkswagen há 15, "a categoria tem muito a conquistar, mas o sindicato poderia estar mais próximo da base, como era no passado". Lima defende jornada menor para dedicar-se à família e aos estudos. Ele cursa o segundo ano de Direito.

Desemprego - O número pequeno de oportunidades para pessoas com mais de 40 anos foi criticado por diversas pessoas que trabalhavam como ambulantes na festa. Roberto Fleming Andrade, 63, desempregado há 20 anos, já trabalhou na Ford e Volkswagen. "Não tenho chance no mercado. Vendendo brinquedos tiro R$ 700 por mês."

Adilsa Maria da Silva, 46, de Suzano, vendia pinga com mel em sachês ao público. "Fui metalúrgica, mas estou desempregada há 20 anos."

Arthur Pacheco Valério, 36, veio da Zona Leste da Capital para vender maçã do amor. Desempregado há um ano, ele não consegue uma recolocação como auxiliar de limpeza. Sua expectativa era faturar R$ 200 só ontem com a venda do doce.

Ocorrências - Segundo a Polícia Militar e o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), 25 pessoas foram atendidas por consumo de bebida alcoólica em excesso. Efetivo de 150 policiais militares, 50 guardas civis e 130 seguranças particulares monitoravam evento. Nenhuma ocorrência foi registrada até as 18 horas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;