Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Consumidor chega a maior nível de busca por crédito


Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

13/04/2010 | 07:04


As famílias proporcionaram o maior nível de procura por crédito, em março, desde janeiro de 2007, quando foi publicada a primeira edição da pesquisa Indicador Serasa Experian da demanda do consumidor por crédito. O volume é mensurado em pontos e março, com 115,2 pontos, superou o antigo recorde de maio de 2008, quando o registro foi de 114,3 pontos.

O grupo de economistas da Serasa, por meio de nota, concluiu que a maior procura ocorreu porque os consumidores aproveitaram o último mês de redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos automóveis. E, em grande maioria, esse tipo de produto, devido ao seu alto custo, requer empréstimos para serem adquiridos.

Com isso, o indicador superou o resultado de fevereiro em 18,3%. Porém é preciso considerar que o mês passado teve 23 dias úteis, contra 18 vistos em fevereiro, resultado da folga de Carnaval.

Esta é a primeira alta na procura por crédito do ano, tendo em vista que o registro de janeiro foi de queda de 1,1% e, em fevereiro, decréscimo de 7%, ambos sobre os meses imediatamente anteriores.

Sobre igual período de 2009, o resultado de março avançou 32,5%. No primeiro trimestre do ano passado, o consumidor estava incerto sobre seu futuro financeiro devido à crise econômica mundial. Com isso, a base de comparação se torna fraca, o que proporcionou maior alta.

"No ano passado, tivemos em março o período crítico da crise financeira, com impacto no País. O crédito foi o componente que mais sofreu. A oferta diminuiu e os critérios para a contratação ficaram mais restritos", explica o assessor econômico da Serasa, Carlos Henrique de Almeida.

CLASSE
Desconsiderando a comparação relativa ao número de dias úteis, a expansão da demanda por crédito foi maior para as famílias menos remuneradas e, também, às mais abastadas.

O grupo com renda mensal até R$ 500 procurou 32,9% a mais crédito do que em fevereiro. Para Almeida, a variação é explicada pela grande procura por eletroeletrônicos e eletrodomésticos no período.

Já os grupos de famílias com renda entre R$ 5.000 e R$ 10 mil, e acima deste patamar, superaram a aceleração com, respectivamente, 32,8% e 32,2%. Almeida avalia que esse resultado é reflexo da antecipação da compra de carros com desoneração.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Consumidor chega a maior nível de busca por crédito

Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

13/04/2010 | 07:04


As famílias proporcionaram o maior nível de procura por crédito, em março, desde janeiro de 2007, quando foi publicada a primeira edição da pesquisa Indicador Serasa Experian da demanda do consumidor por crédito. O volume é mensurado em pontos e março, com 115,2 pontos, superou o antigo recorde de maio de 2008, quando o registro foi de 114,3 pontos.

O grupo de economistas da Serasa, por meio de nota, concluiu que a maior procura ocorreu porque os consumidores aproveitaram o último mês de redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos automóveis. E, em grande maioria, esse tipo de produto, devido ao seu alto custo, requer empréstimos para serem adquiridos.

Com isso, o indicador superou o resultado de fevereiro em 18,3%. Porém é preciso considerar que o mês passado teve 23 dias úteis, contra 18 vistos em fevereiro, resultado da folga de Carnaval.

Esta é a primeira alta na procura por crédito do ano, tendo em vista que o registro de janeiro foi de queda de 1,1% e, em fevereiro, decréscimo de 7%, ambos sobre os meses imediatamente anteriores.

Sobre igual período de 2009, o resultado de março avançou 32,5%. No primeiro trimestre do ano passado, o consumidor estava incerto sobre seu futuro financeiro devido à crise econômica mundial. Com isso, a base de comparação se torna fraca, o que proporcionou maior alta.

"No ano passado, tivemos em março o período crítico da crise financeira, com impacto no País. O crédito foi o componente que mais sofreu. A oferta diminuiu e os critérios para a contratação ficaram mais restritos", explica o assessor econômico da Serasa, Carlos Henrique de Almeida.

CLASSE
Desconsiderando a comparação relativa ao número de dias úteis, a expansão da demanda por crédito foi maior para as famílias menos remuneradas e, também, às mais abastadas.

O grupo com renda mensal até R$ 500 procurou 32,9% a mais crédito do que em fevereiro. Para Almeida, a variação é explicada pela grande procura por eletroeletrônicos e eletrodomésticos no período.

Já os grupos de famílias com renda entre R$ 5.000 e R$ 10 mil, e acima deste patamar, superaram a aceleração com, respectivamente, 32,8% e 32,2%. Almeida avalia que esse resultado é reflexo da antecipação da compra de carros com desoneração.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;