Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Empresas brasileiras pretendem contratar mais em 2010


Cibele Gandolpho
Do Diário do Grande ABC

23/03/2010 | 07:00


As empresas privadas de capital fechado de todo o mundo diminuíram, impulsionadas pela crise financeira, o número de postos de trabalho em 2009, pela primeira vez desde que a consultoria Grant Thornton International começou a pesquisar sobre emprego, em 2003. No entanto, o Brasil se destaca como um dos países onde o número de vagas cresceu 11% no ano passado. Em 2010, 20% das empresas pesquisadas pretendem contratar este ano, ante -4% em 2009. Os países mais otimistas sobre a criação de oportunidades são Brasil (60%), Vietnã (60%), Botsuana (50%), Austrália e Índia (ambos com 47%).

O resultado geral da pesquisa International Business Report 2010, que ouviu 7.400 empresas de 36 países, por sua vez, foi negativo em 8% (balanço entre as respostas positivas e negativas), contra 21% em 2009, o que mostra queda de 29 pontos percentuais no mundo.

"Apesar do cenário internacional ainda ter alguns problemas, esse resultado mostra que o Brasil já começa a se recuperar da crise econômica mundial e que os empresários acreditam que os negócios irão melhorar neste ano", explica Wanderlei Ferreira, sócio da Terco Grant Thornton, representante brasileira da organização mundial de auditoria e consultoria.

No Brasil, foram ouvidas 150 empresas, sendo 100 de São Paulo, 25 do Rio de Janeiro e 25 da Bahia. Na América Latina, apenas o Chile tem resultado melhor do que o Brasil: 13%. A Argentina tem índice de 9% e o México apresenta o pior resultado, -13%.

A pesquisa mostra também que as grandes economias foram as que mais cortaram postos de trabalho, como Espanha (-38%), Estados Unidos (-33%), Reino Unido (-30), Alemanha (-20%) e Itália (-19%). Os mercados emergentes obtiveram resultados melhores, em especial o Vietnã, com alta de 54%, Índia (33%) e a a China (26%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;