Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Pivô do Santo André é a maior reboteira do Nacional


Marta Teixeira
Do Diário do Grande ABC

15/01/2010 | 07:00


Sem pensar duas vezes a pivô Simone, do Santo André, trocaria as férias por duas semanas a mais de trabalho, disputando a final do Campeonato Nacional Feminino de Basquete. Infelizmente, sua equipe foi eliminada por Ourinhos na semifinal, mas não antes que Simone garantisse a condição de maior reboteira do torneio.

Com 175 rebotes em 15 jogos (média de 11,7), a pivô ficou bem distante da segunda colocada, Nádia Colhado (142), do também eliminado São Caetano, e não perde mais a primeira posição. No ranking estatístico histórico, Simone também é número um com 1.234 rebotes em 191 jogos desde 1998. "Sabia que isto seria possível, porque é fruto de muito trabalho e treinamento", justifica.

Apesar da eliminação precoce, a jogadora considera a última temporada bastante satisfatória. "Foi um ano abençoado para mim e o grupo. Conquistamos os títulos dos Jogos Regionais e Abertos e também brigamos até o fim no Campeonato Paulista. Tivemos um ano bastante proveitoso."

O título dos Abertos, em outubro, teve sabor especial para a equipe, que não disputava a final da competição desde 1999. "Acho que tanto eu quanto as demais jogadoras estávamos no auge nos Abertos. Entramos determinadas e conseguimos vencer, deu tudo certo", lembra a atleta de 1,83 m, dimensionando o valor da conquista. "Os Abertos são como um minipaulista e uma semi do Nacional e ganhamos de todos em uma semana direta de jogos."

Depois, ficou difícil manter o mesmo ritmo, admite, principalmente porque o revezamento com as atletas do banco é mais limitado no Santo André. Simone, por exemplo, jogou em média 35 minutos 53 segundos por partida.

De férias, a pivô agora estuda propostas para a próxima temporada. "Já conversei com a Laís (Elena, técnica do time). Tenho interesse em permanecer na equipe, mas esta é uma decisão para mais pra frente."

Simone começou no basquete, em 1995, no Grêmio Mauaense. "Fiquei encantada depois de ver a Seleção Brasileira campeã mundial de 1994. Falei que queria jogar e minha mãe correu atrás." Dois anos depois, a pivô veio jogar no Santo André e, depois de rápida ausência entre 2004 e 2006, voltou em 2007.

Destaque do grupo, jogadora de segurança da técnica, Simone só não conseguiu ainda espaço na Seleção Brasileira. "Seria hipocrisia dizer que não penso nisso", admite a jogadora, que já teve a convocação cobrada por Laís. "Tento fazer o melhor onde estiver, mas isto não depende só de mim. Eu tô tranquila."

Além de Simone, a ala Ariadna foi outro destaque do time andreense no Nacional. A cubana foi a cestinha do torneio com 349 pontos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;