Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Professores discutem violência nas escolas


Isis Mastromano Correia
Do Diário do Grande ABC

07/06/2009 | 08:10


Professores das escolas estaduais de São Bernardo se reuniram ontem para discutir o aumento da violência nas unidades. De acordo com o representante da Apeoesp (sindicato dos professores), Aldo Santos, o órgão recebe toda semana queixas de professores que sofreram algum tipo de agressão.

Em breve, a entidade deve lançar um documento com os resultados de uma pesquisa finalizada na última semana a respeito do tema com 65 educadores da cidade. "Agressão verbal apareceu em primeiro lugar, seguida de assédio moral e agressão física", aponta Santos sobre a prévia dos resultados.

Os professores consideram ainda como violência a falta de equipamentos no trabalho e o custeio de parte dos serviços essenciais que deveriam ser oferecidos pelo Estado, como refeições e segurança.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Professores discutem violência nas escolas

Isis Mastromano Correia
Do Diário do Grande ABC

07/06/2009 | 08:10


Professores das escolas estaduais de São Bernardo se reuniram ontem para discutir o aumento da violência nas unidades. De acordo com o representante da Apeoesp (sindicato dos professores), Aldo Santos, o órgão recebe toda semana queixas de professores que sofreram algum tipo de agressão.

Em breve, a entidade deve lançar um documento com os resultados de uma pesquisa finalizada na última semana a respeito do tema com 65 educadores da cidade. "Agressão verbal apareceu em primeiro lugar, seguida de assédio moral e agressão física", aponta Santos sobre a prévia dos resultados.

Os professores consideram ainda como violência a falta de equipamentos no trabalho e o custeio de parte dos serviços essenciais que deveriam ser oferecidos pelo Estado, como refeições e segurança.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;