Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Instalação da CPI da Petrobras é incógnita


Da ABr

07/06/2009 | 08:09


Com reunião marcada para quarta-feira, às 10h, a instalação dos trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras, na véspera do feriado de Corpus Christi, ainda é uma incógnita. No PMDB, o líder Renan Calheiros (AL) aguarda reunião da CPI das ONGs para que o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) seja reconduzido ao cargo de relator.

Por interpelação do líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), a mesa diretora do Senado deu parecer de que cabe ao plenário da CPI definir quem será o relator. Como os governistas têm maioria, esta recondução só deixa de ocorrer caso não haja reunião da comissão de inquérito que investiga irregularidades de repasses de recursos públicos a entidades filantrópicas.

Renan Calheiros disse que, resolvido esse problema, os trabalhos da CPI da Petrobras poderão começar na quarta-feira com a votação do presidente que, por sua vez, escolherá o relator. O líder do PMDB ressaltou que a bancada ainda não definiu se indicará o presidente ou o relator da comissão de inquérito.

O senador João Pedro (PT-AM), um dos cotados para assumir a presidência caso os peemedebistas optem pela relatoria, é cauteloso na avaliação de quem ficará com os cargos de direção. "O PMDB colocou o Raupp (senador Valdir Raupp -RO) como titular. Na política não é bom antecipar porque as mudanças acontecem rapidamente", afirmou.

Na oposição, DEM e PSDB têm expectativas um pouco diferentes quanto à instalação da CPI na véspera do feriado. O líder do DEM, José Agripino Maia (RN), acredita que haverá quórum para que a comissão inicie as atividades. Ele ressaltou que a Casa tem que votar as indicações dos novos titulares do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) na próxima semana. O mandato dos atuais representantes do conselho acaba no dia 15.

"É preciso votar (as indicações para o CNJ). Se tem quórum para essa votação em plenário, terá para instalar a CPI", disse o parlamentar, que não acredita em manobra para protelar as investigações.

O líder do PSDB, Arthur Virgílio Neto (AM), atual relator da CPI das ONGs nomeado pelo presidente Heráclito Fortes (DEM-PI) por uma manobra regimental, não está tão convicto quanto seu colega de oposição. "Por um fervor religioso (motivado pelo feriado santo) nós temos que acreditar neste milagre".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Instalação da CPI da Petrobras é incógnita

Da ABr

07/06/2009 | 08:09


Com reunião marcada para quarta-feira, às 10h, a instalação dos trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras, na véspera do feriado de Corpus Christi, ainda é uma incógnita. No PMDB, o líder Renan Calheiros (AL) aguarda reunião da CPI das ONGs para que o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) seja reconduzido ao cargo de relator.

Por interpelação do líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), a mesa diretora do Senado deu parecer de que cabe ao plenário da CPI definir quem será o relator. Como os governistas têm maioria, esta recondução só deixa de ocorrer caso não haja reunião da comissão de inquérito que investiga irregularidades de repasses de recursos públicos a entidades filantrópicas.

Renan Calheiros disse que, resolvido esse problema, os trabalhos da CPI da Petrobras poderão começar na quarta-feira com a votação do presidente que, por sua vez, escolherá o relator. O líder do PMDB ressaltou que a bancada ainda não definiu se indicará o presidente ou o relator da comissão de inquérito.

O senador João Pedro (PT-AM), um dos cotados para assumir a presidência caso os peemedebistas optem pela relatoria, é cauteloso na avaliação de quem ficará com os cargos de direção. "O PMDB colocou o Raupp (senador Valdir Raupp -RO) como titular. Na política não é bom antecipar porque as mudanças acontecem rapidamente", afirmou.

Na oposição, DEM e PSDB têm expectativas um pouco diferentes quanto à instalação da CPI na véspera do feriado. O líder do DEM, José Agripino Maia (RN), acredita que haverá quórum para que a comissão inicie as atividades. Ele ressaltou que a Casa tem que votar as indicações dos novos titulares do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) na próxima semana. O mandato dos atuais representantes do conselho acaba no dia 15.

"É preciso votar (as indicações para o CNJ). Se tem quórum para essa votação em plenário, terá para instalar a CPI", disse o parlamentar, que não acredita em manobra para protelar as investigações.

O líder do PSDB, Arthur Virgílio Neto (AM), atual relator da CPI das ONGs nomeado pelo presidente Heráclito Fortes (DEM-PI) por uma manobra regimental, não está tão convicto quanto seu colega de oposição. "Por um fervor religioso (motivado pelo feriado santo) nós temos que acreditar neste milagre".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;