Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Aidan diz que novas irregularidades virão à tona


Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

07/06/2009 | 08:04


As denúncias de irregularidade envolvendo contratos firmados na gestão petista em Santo André não ficarão restritas ao Instituto Castanheira (ex-prestador de serviço na área de Educação) e à Cobra Tecnologia (informática). Quem garante é o prefeito Aidan Ravin (PTB). Segundo ele, outras ONGs somente não foram denunciadas ainda porque o governo segue reunindo provas.

"Não faremos acusações vazias. Só procuraremos a Justiça quando tivermos provas concretas em mãos. O Executivo precisa ter responsabilidade. Não podemos ser evasivos ao encaminhar uma denúncia ao Ministério Público sem a devida comprovação. Não farei nada sem ter certeza", observou o governante andreense.

Aidan declarou também que apenas trará à tona um novo problema após encaminhar o caso para a "devida apuração" do Ministério Público. "Não é possível ser diferente, pois, caso contrário, a situação fugiria do controle."

A administração tem sido cobrada constantemente sobre os resultados da auditoria realizada recentemente em acordos feitos pelo PT. Foram analisados pouco mais de 240 convênios, dos quais a maioria, segundo a atual gestão, apresentaria irregularidades. No entanto, desde que denunciou problemas relativos à Castanheira e à Cobra, há duas semanas, o poder público não divulgou nenhuma novidade.

OPOSIÇÃO
"O prefeito está blefando (sobre novas supostas irregularidades da gestão do PT). Denunciou dois contratos ao Ministério Público porque na época havia discussão na Câmara para a instauração de uma CPI. Foi uma estratégia para tirar o foco das nossas acusações e colocar um pano de fumaça na situação", observou o vereador e presidente municipal do PT, Tiago Nogueira.

Ainda segundo ele, a administração do PTB não é transparente e quando apresenta números o faz de maneira contraditória e oficiosa. "Está insustentável. O líder de governo (o tucano Marcelo Chehade) não consegue defender a administração porque seria a mesma coisa que tentar explicar batom na cueca, ou seja, não tem explicação", sugeriu.

O também vereador petista José Montoro Filho, o Montorinho, rebateu a declaração do chefe do Executivo de que a oposição estaria trabalhando com "ódio e raiva". "Pelo contrário, fazemos nosso papel com muito amor pela cidade. O prefeito precisa parar de brincar de fazer política, pois não está sendo justo com o cargo que ganhou da população."

‘Licitações substituirão os atuais contratos emergenciais'

O prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), rechaçou que manterá a política adotada na gestão petista de João Avamileno de assinar contratos emergenciais e mantê-los posteriormente com sucessivas renovações.

O chefe do Executivo vem sendo duramente criticado pela oposição, segundo a qual Aidan governa a cidade da mesma maneira que o PT, a quem tanto criticava na época em que era vereador. "Esse não é o nosso modo de administrar. Abriremos a licitação em todos os contratos que estão sendo firmados emergencialmente. Não haverá renovação automática", observou Aidan.

Segundo o petebista, a emergência será estendida apenas em casos específicos, quando houver impugnações ou quaisquer outros problemas durante o processo licitatório. "Não podemos descartar essas situações."

O prefeito garantiu que a equipe responsável pela abertura de certames da Prefeitura está debruçada nesse assunto para evitar problemas quando o prazo desses contratos emergenciais se expirar. "Temos 180 dias para jogar a licitação na rua, mas quero fazê-lo antes desse prazo. Antigamente, aqui (na Prefeitura) podia se contratar ONG sem perguntar nada ou fazer licitação. O PT usava muito desse expediente. Comigo será diferente."

TROCA
Presidente municipal do PT, o vereador Tiago Nogueira afirma que questionará no Ministério Público e no Tribunal de Contas os contratos emergenciais. "Não vejo essa emergência em todos eles, excetuando-se a contratação de médicos." Ele também sugeriu que a atitude de Aidan é apenas para acabar com qualquer resquício da administração petista. "É trocar por trocar, para colocar gente dele na Prefeitura."

O prefeito negou a acusação. "Se essa foi a prática deles durante todos esses anos, não posso fazer nada. Nossa situação é diferente. Contratamos emergencialmente quando há irregularidades no contrato anterior", indicou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aidan diz que novas irregularidades virão à tona

Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

07/06/2009 | 08:04


As denúncias de irregularidade envolvendo contratos firmados na gestão petista em Santo André não ficarão restritas ao Instituto Castanheira (ex-prestador de serviço na área de Educação) e à Cobra Tecnologia (informática). Quem garante é o prefeito Aidan Ravin (PTB). Segundo ele, outras ONGs somente não foram denunciadas ainda porque o governo segue reunindo provas.

"Não faremos acusações vazias. Só procuraremos a Justiça quando tivermos provas concretas em mãos. O Executivo precisa ter responsabilidade. Não podemos ser evasivos ao encaminhar uma denúncia ao Ministério Público sem a devida comprovação. Não farei nada sem ter certeza", observou o governante andreense.

Aidan declarou também que apenas trará à tona um novo problema após encaminhar o caso para a "devida apuração" do Ministério Público. "Não é possível ser diferente, pois, caso contrário, a situação fugiria do controle."

A administração tem sido cobrada constantemente sobre os resultados da auditoria realizada recentemente em acordos feitos pelo PT. Foram analisados pouco mais de 240 convênios, dos quais a maioria, segundo a atual gestão, apresentaria irregularidades. No entanto, desde que denunciou problemas relativos à Castanheira e à Cobra, há duas semanas, o poder público não divulgou nenhuma novidade.

OPOSIÇÃO
"O prefeito está blefando (sobre novas supostas irregularidades da gestão do PT). Denunciou dois contratos ao Ministério Público porque na época havia discussão na Câmara para a instauração de uma CPI. Foi uma estratégia para tirar o foco das nossas acusações e colocar um pano de fumaça na situação", observou o vereador e presidente municipal do PT, Tiago Nogueira.

Ainda segundo ele, a administração do PTB não é transparente e quando apresenta números o faz de maneira contraditória e oficiosa. "Está insustentável. O líder de governo (o tucano Marcelo Chehade) não consegue defender a administração porque seria a mesma coisa que tentar explicar batom na cueca, ou seja, não tem explicação", sugeriu.

O também vereador petista José Montoro Filho, o Montorinho, rebateu a declaração do chefe do Executivo de que a oposição estaria trabalhando com "ódio e raiva". "Pelo contrário, fazemos nosso papel com muito amor pela cidade. O prefeito precisa parar de brincar de fazer política, pois não está sendo justo com o cargo que ganhou da população."

‘Licitações substituirão os atuais contratos emergenciais'

O prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), rechaçou que manterá a política adotada na gestão petista de João Avamileno de assinar contratos emergenciais e mantê-los posteriormente com sucessivas renovações.

O chefe do Executivo vem sendo duramente criticado pela oposição, segundo a qual Aidan governa a cidade da mesma maneira que o PT, a quem tanto criticava na época em que era vereador. "Esse não é o nosso modo de administrar. Abriremos a licitação em todos os contratos que estão sendo firmados emergencialmente. Não haverá renovação automática", observou Aidan.

Segundo o petebista, a emergência será estendida apenas em casos específicos, quando houver impugnações ou quaisquer outros problemas durante o processo licitatório. "Não podemos descartar essas situações."

O prefeito garantiu que a equipe responsável pela abertura de certames da Prefeitura está debruçada nesse assunto para evitar problemas quando o prazo desses contratos emergenciais se expirar. "Temos 180 dias para jogar a licitação na rua, mas quero fazê-lo antes desse prazo. Antigamente, aqui (na Prefeitura) podia se contratar ONG sem perguntar nada ou fazer licitação. O PT usava muito desse expediente. Comigo será diferente."

TROCA
Presidente municipal do PT, o vereador Tiago Nogueira afirma que questionará no Ministério Público e no Tribunal de Contas os contratos emergenciais. "Não vejo essa emergência em todos eles, excetuando-se a contratação de médicos." Ele também sugeriu que a atitude de Aidan é apenas para acabar com qualquer resquício da administração petista. "É trocar por trocar, para colocar gente dele na Prefeitura."

O prefeito negou a acusação. "Se essa foi a prática deles durante todos esses anos, não posso fazer nada. Nossa situação é diferente. Contratamos emergencialmente quando há irregularidades no contrato anterior", indicou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;