Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Dunga pede para jogadores manterem foco na seleção



03/06/2009 | 07:00


O aquecimento do mercado de compra e venda de jogadores no futebol europeu atingiu a Seleção Brasileira. Preocupado com os efeitos das negociações, o técnico Dunga já conversou com alguns atletas, ontem, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), pedindo foco total nos compromissos do Brasil este mês, quando terá dois jogos pelas Eliminatórias e a Copa das Confederações.

Apesar das providências que tomou, o treinador sabe que não tem como impedir que os jogadores se envolvam nas transações. As conversas por meio de telefones celulares entre atletas e seus empresários são inevitáveis. Impossível conter, por exemplo, o furacão envolvendo Kaká, alvo de todas as atenções da seleção ontem, no primeiro dia de treinamentos na Granja Comary, quando Real Madrid e Chelsea disputavam sua contratação junto ao Milan.

"Já conversei com alguns jogadores e disse para ficarem focados aqui na seleção. Eles são experientes, profissionais, sabem que o tempo nosso aqui é curto. Temos de ficar atentos nestes dois jogos (Uruguai, no sábado, e Paraguai, na quarta-feira)", revelou Dunga. "A vida deles não vai ser decidida agora. E também ir para um Real Madrid, Barcelona, Milan não é uma preocupação."

O treinador recomendou, mas ele mesmo tem consciência de que os atletas não deixarão de negociar por celular. "No meu tempo de jogador na seleção, a gente esperava ir embora para casa para telefonar, falar com os empresários. Hoje, eles (jogadores) entram no carro e já telefonam", comparou.

Esse é o caso de Felipe Melo. O volante da Fiorentina confirmou ontem que o clube tem uma oferta (18 milhões de euros) da Inter de Milão. "A proposta é concreta. Falei com meu empresário e ele disse que recebeu uma ligação da Inter. Não quero me envolver com a negociação. Estou concentrado na seleção. Minha preocupação é o jogo contra o Uruguai", avisou o jogador.

Elano é outro com situação indefinida. Antes de apresentar-se na Granja Comary, ele teve uma reunião com os dirigentes do Manchester City e fez suas exigências para renovar o contrato. "Coloquei na mesa o que eu quero. Aguardo a resposta. Minha meta é disputar a Copa do Mundo de 2010. Eles (os dirigentes do City) sabem disso. Quero me concentrar nos jogos da seleção, dar o meu melhor para conquistar uma vaga no grupo da Copa", contou.

Outros jogadores do elenco também estão de olho no mercado e na expectativa de uma transferência. Casos dos zagueiros Luisão e Miranda, do lateral esquerdo André Santos, do meia Julio Baptista e dos atacantes Robinho e Nilmar.

Fifa critica estádios para a Copa de 2014

Os comentários de que a Fifa teria considerado o Morumbi o pior entre todos os estádios candidatos a receber a Copa do Mundo de 2014, inclusive alguns já eliminados da disputa, provocou revolta entre os organizadores do projeto paulista para o Mundial e do São Paulo Futebol Clube, proprietário do estádio. Pessoas ligadas ao projeto afirmaram ontem que a Fifa teria dito ainda que "outros cinco ou seis estádios também apresentam sérios problemas."

O Mineirão, em Belo Horizonte, o Castelão, em Fortaleza, o Vivaldão, em Manaus, o Beira-Rio, em Porto Alegre, o Mané Garrincha, em Brasília, e até mesmo a Arena da Baixada, em Curitiba, seriam estádios com problemas e que os projetos também não contemplariam todas as necessidades.

O vice-presidente de marketing do São Paulo - e um dos responsáveis pela modernização do Morumbi -, Júlio Casares, destacou os vários interesses envolvidos nesta polêmica. "Estamos no olho do furacão. Por trás dessa história de atacar o Morumbi existem interesses econômicos, políticos e clubísticos", afirmou. "Ao diminuir a importância do Morumbi, você o enfraquece como candidato a receber a abertura do Mundial. Ou seja, ele pode permanecer como estádio da Copa, mas não como palco da abertura."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dunga pede para jogadores manterem foco na seleção


03/06/2009 | 07:00


O aquecimento do mercado de compra e venda de jogadores no futebol europeu atingiu a Seleção Brasileira. Preocupado com os efeitos das negociações, o técnico Dunga já conversou com alguns atletas, ontem, na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), pedindo foco total nos compromissos do Brasil este mês, quando terá dois jogos pelas Eliminatórias e a Copa das Confederações.

Apesar das providências que tomou, o treinador sabe que não tem como impedir que os jogadores se envolvam nas transações. As conversas por meio de telefones celulares entre atletas e seus empresários são inevitáveis. Impossível conter, por exemplo, o furacão envolvendo Kaká, alvo de todas as atenções da seleção ontem, no primeiro dia de treinamentos na Granja Comary, quando Real Madrid e Chelsea disputavam sua contratação junto ao Milan.

"Já conversei com alguns jogadores e disse para ficarem focados aqui na seleção. Eles são experientes, profissionais, sabem que o tempo nosso aqui é curto. Temos de ficar atentos nestes dois jogos (Uruguai, no sábado, e Paraguai, na quarta-feira)", revelou Dunga. "A vida deles não vai ser decidida agora. E também ir para um Real Madrid, Barcelona, Milan não é uma preocupação."

O treinador recomendou, mas ele mesmo tem consciência de que os atletas não deixarão de negociar por celular. "No meu tempo de jogador na seleção, a gente esperava ir embora para casa para telefonar, falar com os empresários. Hoje, eles (jogadores) entram no carro e já telefonam", comparou.

Esse é o caso de Felipe Melo. O volante da Fiorentina confirmou ontem que o clube tem uma oferta (18 milhões de euros) da Inter de Milão. "A proposta é concreta. Falei com meu empresário e ele disse que recebeu uma ligação da Inter. Não quero me envolver com a negociação. Estou concentrado na seleção. Minha preocupação é o jogo contra o Uruguai", avisou o jogador.

Elano é outro com situação indefinida. Antes de apresentar-se na Granja Comary, ele teve uma reunião com os dirigentes do Manchester City e fez suas exigências para renovar o contrato. "Coloquei na mesa o que eu quero. Aguardo a resposta. Minha meta é disputar a Copa do Mundo de 2010. Eles (os dirigentes do City) sabem disso. Quero me concentrar nos jogos da seleção, dar o meu melhor para conquistar uma vaga no grupo da Copa", contou.

Outros jogadores do elenco também estão de olho no mercado e na expectativa de uma transferência. Casos dos zagueiros Luisão e Miranda, do lateral esquerdo André Santos, do meia Julio Baptista e dos atacantes Robinho e Nilmar.

Fifa critica estádios para a Copa de 2014

Os comentários de que a Fifa teria considerado o Morumbi o pior entre todos os estádios candidatos a receber a Copa do Mundo de 2014, inclusive alguns já eliminados da disputa, provocou revolta entre os organizadores do projeto paulista para o Mundial e do São Paulo Futebol Clube, proprietário do estádio. Pessoas ligadas ao projeto afirmaram ontem que a Fifa teria dito ainda que "outros cinco ou seis estádios também apresentam sérios problemas."

O Mineirão, em Belo Horizonte, o Castelão, em Fortaleza, o Vivaldão, em Manaus, o Beira-Rio, em Porto Alegre, o Mané Garrincha, em Brasília, e até mesmo a Arena da Baixada, em Curitiba, seriam estádios com problemas e que os projetos também não contemplariam todas as necessidades.

O vice-presidente de marketing do São Paulo - e um dos responsáveis pela modernização do Morumbi -, Júlio Casares, destacou os vários interesses envolvidos nesta polêmica. "Estamos no olho do furacão. Por trás dessa história de atacar o Morumbi existem interesses econômicos, políticos e clubísticos", afirmou. "Ao diminuir a importância do Morumbi, você o enfraquece como candidato a receber a abertura do Mundial. Ou seja, ele pode permanecer como estádio da Copa, mas não como palco da abertura."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;