Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Técnico do Santo André dispara contra os árbitros

Sérgio Guedes ainda reclama e vice-presidente Romualdo Magro Jr. lança um alerta à Confederação


Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

26/05/2009 | 07:00


Sérgio Guedes não assimilou a polêmica atuação do juiz Arilson Bispo na derrota do Santo André para o Flamengo, domingo, no Estádio Bruno Daniel. Um dia depois do tropeço que interrompeu a campanha invicta do time no Campeonato Brasileiro, o técnico ainda continuava bem furioso. Na véspera, ele responsabilizou a arbitragem do baiano pela anulação do gol do atacante Nunes, que teria cometido uma falta bastante contestada nos primeiros instantes do jogo, numa dividida na pequena área, O meia Obina participou do lance.

Ontem à tarde, o treinador resolveu ampliar a bateria de críticas a quem, segundo ele, interferiu diretamente no placar. Guedes prevê a que os erros não estarão restritos ao que houve na rodada anterior. " Fomos novamente prejudicados. Como aconteceu diante do Botafogo e do Coritiba, Isso virou rotina. Não sou ingênuo. Os critérios desiguais ainda vão prejudicar muito mais aos clubes considerados menores. O pior é que não tomarão providência", desconfia.

Guedes procura deixar claro que não coloca em dúvida a honestidade como primeiro item de avaliação de um árbitro. No entanto, acha que Arilson complicou demais apenas contra o Santo André. "Como acontece nas demais profissões, os maus profissionais também estão espalhados no meio do futebol. Às vezes, há inversões equivocadas, que a gente até compreende como normais no contexto das falhas humanas. Mas persistir nas interpretações a favor de um lado fica uma coisa meio que política e até covarde", supõe.

Na opinião de Guedes, reagir ao que ele vê como injustiça não significa buscar desculpas ao que aconteceu domingo no Bruno Daniel. "Não iria insistir nas mesmas justificativas de quem perde. Ao contrário: acho que conseguimos enfrentamos o Flamengo de igual para igual. Não vou tirar o mérito dos meus jogadores".

O vice-presidente da Gestão Empresarial do Santo André, Romualdo Magro Júnior, também não poupou críticas ao árbitro. "Acontece que interferir num resultado significa prejuízos aos investimentos dos clubes", exemplifica o dirigente. "Que absurdo... É brincadeira anularem aquele gol do Nunes. A diferença é que a camisa do Flamengo pesa mais do que a nossa. Sei que não adianta protestar, mas não vamos nos calar. A CBF precisa ficar atenta", sugere.

Time se liga no próximo desafio na casa do Atlético-MG

No limite da superação contra o Atlético-MG (sábado, às 18h30, em Belo Horizonte) e também na sequência do Campeonato Brasileiro. Pelo menos é a postura que o técnico Sérgio Guedes recomenda ao Santo André. Independentemente dos problemas de arbitragens, é fundamental, segundo ele, que o time saiba encarar as dificuldades para concluir a temporada entre os melhores do campeonato. "Não vamos insistir nas reclamações. Não podemos desviar o foco".

O ala Cicinho, ausente nas duas últimas rodadas para cumprir suspensões, pode reaparecer. Dionísio, que o substituiu diante do Flamengo, sente dores musculares nas duas pernas, segundo o médico Eduardo Souza.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Técnico do Santo André dispara contra os árbitros

Sérgio Guedes ainda reclama e vice-presidente Romualdo Magro Jr. lança um alerta à Confederação

Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

26/05/2009 | 07:00


Sérgio Guedes não assimilou a polêmica atuação do juiz Arilson Bispo na derrota do Santo André para o Flamengo, domingo, no Estádio Bruno Daniel. Um dia depois do tropeço que interrompeu a campanha invicta do time no Campeonato Brasileiro, o técnico ainda continuava bem furioso. Na véspera, ele responsabilizou a arbitragem do baiano pela anulação do gol do atacante Nunes, que teria cometido uma falta bastante contestada nos primeiros instantes do jogo, numa dividida na pequena área, O meia Obina participou do lance.

Ontem à tarde, o treinador resolveu ampliar a bateria de críticas a quem, segundo ele, interferiu diretamente no placar. Guedes prevê a que os erros não estarão restritos ao que houve na rodada anterior. " Fomos novamente prejudicados. Como aconteceu diante do Botafogo e do Coritiba, Isso virou rotina. Não sou ingênuo. Os critérios desiguais ainda vão prejudicar muito mais aos clubes considerados menores. O pior é que não tomarão providência", desconfia.

Guedes procura deixar claro que não coloca em dúvida a honestidade como primeiro item de avaliação de um árbitro. No entanto, acha que Arilson complicou demais apenas contra o Santo André. "Como acontece nas demais profissões, os maus profissionais também estão espalhados no meio do futebol. Às vezes, há inversões equivocadas, que a gente até compreende como normais no contexto das falhas humanas. Mas persistir nas interpretações a favor de um lado fica uma coisa meio que política e até covarde", supõe.

Na opinião de Guedes, reagir ao que ele vê como injustiça não significa buscar desculpas ao que aconteceu domingo no Bruno Daniel. "Não iria insistir nas mesmas justificativas de quem perde. Ao contrário: acho que conseguimos enfrentamos o Flamengo de igual para igual. Não vou tirar o mérito dos meus jogadores".

O vice-presidente da Gestão Empresarial do Santo André, Romualdo Magro Júnior, também não poupou críticas ao árbitro. "Acontece que interferir num resultado significa prejuízos aos investimentos dos clubes", exemplifica o dirigente. "Que absurdo... É brincadeira anularem aquele gol do Nunes. A diferença é que a camisa do Flamengo pesa mais do que a nossa. Sei que não adianta protestar, mas não vamos nos calar. A CBF precisa ficar atenta", sugere.

Time se liga no próximo desafio na casa do Atlético-MG

No limite da superação contra o Atlético-MG (sábado, às 18h30, em Belo Horizonte) e também na sequência do Campeonato Brasileiro. Pelo menos é a postura que o técnico Sérgio Guedes recomenda ao Santo André. Independentemente dos problemas de arbitragens, é fundamental, segundo ele, que o time saiba encarar as dificuldades para concluir a temporada entre os melhores do campeonato. "Não vamos insistir nas reclamações. Não podemos desviar o foco".

O ala Cicinho, ausente nas duas últimas rodadas para cumprir suspensões, pode reaparecer. Dionísio, que o substituiu diante do Flamengo, sente dores musculares nas duas pernas, segundo o médico Eduardo Souza.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;