Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Faturamento do comércio varejista tem alta de 2,5% no Estado

Segmento automotivo foi responsável por impulsionar elevação no mês de março, segundo a Fecomercio


Emerson Coelho
Do Diário do Grande ABC

07/05/2009 | 07:00


O setor automotivo foi responsável pela alta de 2,5% no faturamento real do comércio varejista em março, é o que revela pesquisa da Fecomercio (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) com cerca de 1.800 estabelecimentos comerciais.

Os dados, que comparam o desempenho em relação a março de 2008, mostram que subiu 13,4% o faturamento do comércio automotivo, impulsionado, principalmente, pela redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

"Os consumidores aproveitaram os descontos com a redução do IPI para adquirir o carro zero-quilômetro e o segmento automotivo tem um peso grande na pesquisa, fazendo com que o índice geral fosse positivo", explicou o economista da Fecomercio, Guilherme Dietze.

No acumulado do trimestre, o comércio teve queda de 1,2% no faturamento, ante o mesmo período do ano passado. De acordo com especialistas os resultados estiveram muito próximos aos projetados no final de 2008, mas a surpresa foi a recuperação parcial do desempenho em março. O setor de Farmácias e Perfumarias registrou elevação de 14,6% no faturamento real em relação à igual mês do ano passado e teve o melhor desempenho do comércio. Segundo Dietze, isso se deve ao aumento na massa real de rendimentos na região. "Além disso, houve um crescimento do consumo dos medicamentos genéricos e de itens em geral, com destaque para perfumaria e produtos de baixo valor".

Pela terceira vez no ano, as Lojas de Departamento registraram incremento de 1,6% em seu faturamento real de março, em comparação com o ano anterior. E a previsão é de que haja um aumento ainda maior nos próximos meses devido à redução do IPI para a linha branca (geladeiras, máquinas de lavar, fogões e tanquinhos).

Entre os setores que apresentaram queda no faturamento em março estão os de material de construção e de supermercados, com perdas de 5,2% e 7,3%, respectivamente.

REGIÃO - Para o presidente da Acisa (Associação Comercial e Industrial de Santo André), Sidnei Muneratti, o desempenho do comércio no Grande ABC está fortemente atrelado ao setor automotivo. "Temos grandes empregadores na região que estão tentando conservar os empregos dos trabalhadores e isso reflete no consumo no varejo", avaliou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Faturamento do comércio varejista tem alta de 2,5% no Estado

Segmento automotivo foi responsável por impulsionar elevação no mês de março, segundo a Fecomercio

Emerson Coelho
Do Diário do Grande ABC

07/05/2009 | 07:00


O setor automotivo foi responsável pela alta de 2,5% no faturamento real do comércio varejista em março, é o que revela pesquisa da Fecomercio (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) com cerca de 1.800 estabelecimentos comerciais.

Os dados, que comparam o desempenho em relação a março de 2008, mostram que subiu 13,4% o faturamento do comércio automotivo, impulsionado, principalmente, pela redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

"Os consumidores aproveitaram os descontos com a redução do IPI para adquirir o carro zero-quilômetro e o segmento automotivo tem um peso grande na pesquisa, fazendo com que o índice geral fosse positivo", explicou o economista da Fecomercio, Guilherme Dietze.

No acumulado do trimestre, o comércio teve queda de 1,2% no faturamento, ante o mesmo período do ano passado. De acordo com especialistas os resultados estiveram muito próximos aos projetados no final de 2008, mas a surpresa foi a recuperação parcial do desempenho em março. O setor de Farmácias e Perfumarias registrou elevação de 14,6% no faturamento real em relação à igual mês do ano passado e teve o melhor desempenho do comércio. Segundo Dietze, isso se deve ao aumento na massa real de rendimentos na região. "Além disso, houve um crescimento do consumo dos medicamentos genéricos e de itens em geral, com destaque para perfumaria e produtos de baixo valor".

Pela terceira vez no ano, as Lojas de Departamento registraram incremento de 1,6% em seu faturamento real de março, em comparação com o ano anterior. E a previsão é de que haja um aumento ainda maior nos próximos meses devido à redução do IPI para a linha branca (geladeiras, máquinas de lavar, fogões e tanquinhos).

Entre os setores que apresentaram queda no faturamento em março estão os de material de construção e de supermercados, com perdas de 5,2% e 7,3%, respectivamente.

REGIÃO - Para o presidente da Acisa (Associação Comercial e Industrial de Santo André), Sidnei Muneratti, o desempenho do comércio no Grande ABC está fortemente atrelado ao setor automotivo. "Temos grandes empregadores na região que estão tentando conservar os empregos dos trabalhadores e isso reflete no consumo no varejo", avaliou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;