Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Usina nuclear do Japão sofre queda de energia

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


19/03/2013 | 00:36


Quatro reservatórios de combustível da usina de Fukushima Daiichi do Japão estão sem resfriamento de água há mais de 15 horas devido a uma queda de energia. No entanto, a empresa operadora da usina disse que está tentando reparar o painel de controle danificado que pode ter causado o problema.

 

A Tokyo Electric Power, operadora da usina, disse que a temperatura do reservatório está dentro dos níveis de segurança, apesar do leve aquecimento. A empresa acrescentou que ainda havia muito tempo para resolver o problema antes que o limite máximo de 65 graus fosse atingido.

 

A marca de 65 graus é considerada como o limite para manter o reservatório dentro dos níveis de segurança.

 

A operadora estava preparando um sistema de reserva caso os reparos não corrigissem os problemas, disse o representante da empresa, Masayuki Ono, a repórteres.

 

O centro de comando da usina sofreu uma breve queda de energia na manhã desta segunda-feira. A eletricidade foi restaurada rapidamente para o centro de comando, mas não para os equipamentos de bombeamento de água que são usados para resfriar os reservatórios.

 

A empresa estava investigando a causa da queda de energia e acredita que pode ter ocorrido devido a problemas com um painel de controle, que está sendo reparado.

 

O secretário-chefe do gabinete do governo do Japão, Yoshihide Suga, afirmou que o governo está ciente da preocupação pública sobre a queda de energia, mas está confiante de que o problema será resolvido dentro dos próximos dias.

 

"Estamos cientes de que a principal preocupação é de que o reservatório de combustíveis número 4 alcance uma temperatura de mais de 65 graus", disse Suga. Mas ele acrescentou que a temperatura não chegará a este nível por mais quatro dias, tempo em que espera que o problema seja resolvido. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Usina nuclear do Japão sofre queda de energia


19/03/2013 | 00:36


Quatro reservatórios de combustível da usina de Fukushima Daiichi do Japão estão sem resfriamento de água há mais de 15 horas devido a uma queda de energia. No entanto, a empresa operadora da usina disse que está tentando reparar o painel de controle danificado que pode ter causado o problema.

 

A Tokyo Electric Power, operadora da usina, disse que a temperatura do reservatório está dentro dos níveis de segurança, apesar do leve aquecimento. A empresa acrescentou que ainda havia muito tempo para resolver o problema antes que o limite máximo de 65 graus fosse atingido.

 

A marca de 65 graus é considerada como o limite para manter o reservatório dentro dos níveis de segurança.

 

A operadora estava preparando um sistema de reserva caso os reparos não corrigissem os problemas, disse o representante da empresa, Masayuki Ono, a repórteres.

 

O centro de comando da usina sofreu uma breve queda de energia na manhã desta segunda-feira. A eletricidade foi restaurada rapidamente para o centro de comando, mas não para os equipamentos de bombeamento de água que são usados para resfriar os reservatórios.

 

A empresa estava investigando a causa da queda de energia e acredita que pode ter ocorrido devido a problemas com um painel de controle, que está sendo reparado.

 

O secretário-chefe do gabinete do governo do Japão, Yoshihide Suga, afirmou que o governo está ciente da preocupação pública sobre a queda de energia, mas está confiante de que o problema será resolvido dentro dos próximos dias.

 

"Estamos cientes de que a principal preocupação é de que o reservatório de combustíveis número 4 alcance uma temperatura de mais de 65 graus", disse Suga. Mas ele acrescentou que a temperatura não chegará a este nível por mais quatro dias, tempo em que espera que o problema seja resolvido. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;