Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Batata e tomate encarecem cesta básica


Michele Loureiro
Do Diário do Grande ABC

06/02/2009 | 07:00


Nesta semana, a cesta básica na região ficou R$ 3,88 mais cara. O peso no bolso do consumidor foi causado mais uma vez pelos hortifrutigranjeiros. A instabilidade climática acaba afetando a produção de itens como batata e tomate, que registraram alta de 22,21% e 8,56% respectivamente.

 Nesta primeira semana de fevereiro - que compreende entre os dias 2 e 8 - o consumidor passa a pagar R$ 324,50 pelo conjunto de 34 produtos. Na última semana de janeiro, quem adquiriu o conjunto de itens pagou em média R$ R$ 320,62.

 O valor da cesta básica registrou alta de 1,21%. Os preços dos hortifrutigranjeiros apresentaram reação de 2,92% e os alimentos industrializados subiram 1,07%.

 Segundo Fábio Vezzá de Benedetto, engenheiro agrônomo da Craisa (Companhia de Abastecimento de Santo André), as condições climáticas continuam desfavoráveis à colheita e ao transporte dos hortifrutigranjeiros, que são altamente perecíveis.

 Entretanto, segundo o engenheiro, os preços reagiram principalmente por influência da demanda. "Uma vez que estamos no período do pagamento dos salários para grande parte da população, isso incrementa o consumo, e como prova disso observamos a alta nos valores do arroz, do feijão e das carnes bovinas. Na contramão está a carne de frango, que apresentou retração de -3,06%", destacou Vezzá.

 A pesquisa é realizada em 26 super e hipermercados nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires e é baseada no consumo uma família de quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças, para um período de 30 dias.

 Além do grupo dos legumes e verduras, esta semana alguns produtos também merecem destaque pela elevação de preço. "O café registrou alta de 7,45%, com valor médio de R$ 5,81 para o pacote de 500 gramas. O feijão subiu 4,24%, passando a custar, em média, R$ 2,91 (pacote de 1 quilo)", enumerou o pesquisador da Craisa.

 O consumidor que pretende economizar na hora das compras pode acessar a lista completa de produtos, com a comparação por itens em cada cidade, pelo site www.craisa.com.br, no link ‘Bolsa do Consumidor'.

 Entre os locais pesquisados, o Supermercado Baronesa, em Mauá, apresentou menor valor da cesta de produtos industrializados - R$ 251,01 -, enquanto o Carrefour Diadema foi o local mais caro, com o conjunto de alimentos custando R$ 278,78.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;