Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Paciente reclama de falta de transporte

Pessoas com dificuldade de locomoção não conseguem vaga em sistema gratuito


Thaís Moraes
para o Diário

15/03/2013 | 07:00


A aposentada Nair Cardoso Sampaio, 75 anos, e sua filha Rosana Cardoso Sampaio, 48, ambas moradoras de Diadema, não sabem mais se poderão comparecer a consultas, exames e tratamentos médicos por falta de vagas no serviço gratuito de transporte agendado. Rosana, que sofre de paralisia por ter adquirido meningite na infância, utiliza o serviço há cerca de cinco anos, mas com o agravamento de seu estado de saúde hoje precisa comparecer com mais frequência a consultas e exames médicos. “Com as crises de pancreatite, as idas ao médico aumentaram. Mas quando ela não tem crise, pelo menos uma vez por mês é necessário o transporte agendado”, contou a dona de casa Renata Cardoso Sampaio, 46, irmã de Rosana.

Depois que passou a apresentar problemas de circulação nas duas pernas, dona Nair começou a fazer fisioterapia e é usuária do serviço há dois anos. No dia 1º, quando Renata ligou para fazer o agendamento, foi informada de que não existe vaga. Decidiu então ir até a Secretaria da Saúde, mas não conseguiu resolver o problema./CS

“Novamente disseram que não há lugar disponível e que é preciso ver se há mesmo a necessidade da minha mãe e minha irmã utilizarem o transporte agendado. Como podem deixar os pacientes na mão dessa forma?”, questionou Renata.

Na semana passada, dona Nair teve de ir de ônibus à fisioterapia no Quarteirão da Saúde. O percurso, que feito de carro dura em média 15 minutos, leva 40 minutos com o transporte público. “Não consigo andar direito porque sofro com as dores. Espero que o benefício volte porque é muito difícil subir e descer do ônibus”, reivindicou.

A Prefeitura de Diadema informou que o número de veículos responsáveis pelo transporte agendado baixou de 21 para 18, o que acarretou dificuldades no atendimento para pacientes que retornaram em fevereiro deste ano. A administração disse ainda que em caso de indisponibilidade, a unidade de atendimento é avisada para justificar a ausência e remarcar a consulta. Reforçou também que a atual gestão tem a intenção de normalizar o serviço assim que os contratos atuais forem avaliados.

O transporte agendado atende aproximadamente 300 pessoas diariamente. Interessados em obter o benefício devem procurar o serviço social da UBS (Unidade Básica de Saúde) em que é atendido.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;